Protesto paralisa banco no Rio onde jornaleiro negro foi assassinado

No dia 22 de dezembro de 2006, o jornaleiro Jonas Eduardo Santos de Souza, 34 anos, foi assassinado na porta de uma agência do banco Itaú, na avenida Rio Branco, no Centro do Rio de Janeiro. Jonas era cliente do Itaú há 10 anos e ficou retido na porta giratória. Quando conseguiu entrar, discutiu com o segurança e foi executado com um tiro no peito.

No dia 22 de janeiro, quando completaram-se 30 dias da sua morte, a Conlutas e diversas entidades do movimento negro juntaram-se à família de Jonas para promover uma paralisação da agência durante o expediente bancário. As entidades e os familiares de Jonas exigiram justiça e denunciaram o racismo dos bancos.

Depois do ato vitorioso, outras atividades estão sendo programadas para dar continuidade à luta contra impunidade.