Programa de TV do PSTU irá mostrar injustiças sociais no País

Partido irá lembrar desocupação dos moradores do Pinheirinho e condições de trabalho dos operários das grandes obras, além da denúncia da corrupção e dos lucros das construtorasNesta quinta, 17, o PSTU irá exibir em rede nacional o seu programa semestral de cinco minutos. O partido irá mostrar exemplos de injustiça social, que seguem ocorrendo no país, mesmo com o crescimento da economia nos últimos anos. Cenas da desocupação do Pinheirinho, em São José dos Campos, irão abrir o programa. A ação policial, em 22 de janeiro, expulsou milhares de famílias e a violência provocou a morte de um morador, de 70 anos.

“O que aconteceu no Pinheirinho foi uma grande injustiça. Em nome de uma só pessoa, o especulador Naji Nahas, milhares até hoje não têm onde morar”, diz Toninho Ferreira, de São José dos Campos, uma das lideranças do partido que participam do programa. O vídeo ainda relembra outros moradores até hoje abandonados pelos governos, como os que perderam suas casas nas chuvas na Região Serrana do Rio de Janeiro e alerta para as centenas de famílias que poderão perder suas casas, em nome das obras da Copa do Mundo.

O partido procura demonstrar que o crescimento da economia nestes últimos anos tem priorizado os lucros das grandes empresas, enquanto exige cada vez mais dos trabalhadores. Um exemplo citado é o dos operários das grandes obras, como os estádios da Copa e das usinas de Jirau e Belo Monte. “Nestes lugares, os trabalhadores são tratados quase como escravos. Sequer podem visitar as famílias”, denuncia Cleber Rabelo, operário da construção civil do Pará.

Participe do evento no Facebook

Corrupção – Contrastando com as condições de trabalho dos operários, as construtoras estão tendo lucros fabulosos com as grandes obras. O partido irá denunciar como estas empresas financiam os políticos e depois são convidadas para obras. Para isso, irá exibir gravações de conversas de Fernando Cavendish, ex-presidente da Delta, construtora com mais contratos junto aos governos e que está no centro de um escândalo de corrupção. As relações com o governador Sergio Cabral e o prefeito Eduardo Paes também fazem parte do programa.

O presidente nacional do PSTU, Zé Maria, encerra o programa, apontando as contradições do crescimento econômico: “É preciso enxergar o que está acontecendo na vida real. Basta olhar em volta para ver as injustiças”. Ele questiona o governo Dilma, que tem priorizado o lucro das grandes empresas e dos bancos. “O Brasil segue sendo um país injusto. Para começar a mudar esse país, é preciso mudar essa política econômica. Não dá para governar para todos”, conclui.