Profissionais da Educação do Rio deixam a CUT e elegem direção de luta

Entre os dias 19 e 23 de junho ocorreram eleições para a diretoria do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (SEPE/RJ). Além de eleger a diretoria, o processo também incluiu um plebiscito sobre a desfiliação do sindicato à CUT e elegeu as diretorias dos núcleos do interior e Grande Rio e das regionais da capital.

Numa votação histórica, com o maior comparecimento às urnas já registrado (quase 20 mil votantes), a categoria decidiu desfiliar o sindicato da central chapa-branca. A decisão foi por ampla maioria, com 11.346 votos contrários à manutenção da filiação (63% dos votos válidos) e 6.767 votos a favor da manutenção da filiação (37,36%).

As eleições para a diretoria também foram marcadas pelo debate sobre a desfiliação, tema que dividiu o debate entre as chapas. Das quatro inscritas, duas chapas defendiam a ruptura com a central e duas defendiam a manutenção da filiação.

Num processo bastante disputado, a vitória ficou com a Chapa 4 – “O SEPE é de Luta e da Educação, a CUT NÃO“, composta por militantes da Alternativa de Classe (grupo sindical que inclui os militantes do PSTU, do Reage Socialista e independentes), por militantes do PSOL (ligados principalmente ao MTL e ao Núcleo de Opção Socialista de Duque de Caxias) e militantes independentes. A Chapa 4 ficou na frente com 5.901 votos (33,60%).

A segunda colocada, a Chapa 2, com militantes da LR, de um grupo que rompeu com a APS (ambos do PSOL), PCB e a UST (ligada ao PDT), também defendia a ruptura com a CUT e obteve 5.398 votos (30,73%). Já as chapas cutistas 1 e 3 ficaram com 4.243 votos (24,16%) e 2.023 votos (11,52%) respectivamente. A chapa 1 é formada pela Articulação Sindical, PCdoB, DS, PSB e o grupo “Educadores Socialistas”, com militantes do PT e do PSOL. A Chapa 3 é formada principalmente por militantes do PSOL ligados à APS. Foram ainda 1.457 votos brancos e 672 nulos.

Os integrantes da Chapa 4 vitoriosa estiveram à frente da última greve da rede estadual e das últimas greves em importantes redes municipais, como Duque de Caxias, Niterói, Nilópolis, entre outras.

O SEPE é um dos maiores sindicatos do Rio de Janeiro, representando o conjunto dos profissionais de educação das redes públicas de ensino, totalizando cerca de 250 mil trabalhadores em sua base de representação. De acordo com o critério proporcional para composição, todas as chapas terão cargos na diretoria, que é formada por cinco coordenadores gerais e 48 diretores de secretarias. A nova diretoria tomará posse até o final de julho.

Pela importância do Sepe, a decisão de desfiliar da CUT terá repercussão nacional e é um passo importante para a construção de uma nova alternativa no estado. Há alguns meses, também em um plebiscito, o SINDSPREV-RJ também havia decidido deixar a central, somando-se a várias outras entidades, como o SINASEFE, o SINTUPERJ e o SINDJUSTIÇA.