Professores entram em greve em Santa Catarina

Governo do PMDB segue intransigente e não abre negociaçõesOs professores do ensino público estadual de Santa Catarina estão em greve por reajuste salarial. Eles reivindicam reposição salarial de 14% e incorporação ao salário dos R$ 150 que recebem de abono. Porém, o governador Luiz Henrique (PMDB) propõe apenas R$ 50 de abono imediato, mais duas parcelas, uma em janeiro e outra em fevereiro, de R$ 25. O governo segue intransigente e até agora não abriu negociações.

Os professores estão realizando atos unificados com os servidores do Judiciário de Santa Catarina, que permanecem em greve mesmo ela tendo sido declarada ilegal pela Justiça, e com os bancários, em greve nacional. “A greve continua, está crescendo e tende a se radicalizar, até que o governo apresente uma proposta aos professores”, afirma Joaninha Oliveira, dirigente da greve. A onda de greves que atinge o estado mostra que o governo estadual aplica a mesma política que o governo Lula.

Post author Diego Cruz, da redação
Publication Date