Presidente de associação gay de Manaus é assassinado em seu apartamento

Guedes, em parada GLBT
Divulgação

Adamor Guedes, presidente da Associação Amazonense de Gays, Lésbicas e Trangêneros (AAGLT), foi assassinado nessa madrugada (dia 28 de setembro), com uma facada no pescoço, em seu apartamento na capital amazonense.

Não se sabe ainda o que motivou o crime, nem o nome do assassino. Entretanto, segundo Léo Mendes, presidente da Associação Goiana de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (AGLT), Guedes há mais de um ano relatava receber ameaças de morte. “O crime não foi passional. Desde o Encontro Brasileiro de Gays, Lésbicas e Transgêneros – EBGLT de Manaus, em 2004, que Adamor vinha denunciando que recebia ameaças de morte. Adamor, em confidência a ativistas, como a mim, sempre dizia ter medo de ser assassinado pela luta que empreendia pelos direitos humanos de GLBTs no Amazonas”, relatou Léo em e-mail notificando a morte do companheiro ativista.

Adamor Guedes, um dos maiores nomes da militância homossexual da região Norte, iniciou seu histórico de defesa dos direitos homossexuais ao fundar em 1992, o GGA – Grupo Gay do Amazonas. Em 2000, foi candidato a vereador em Manaus e tinha intenção de concorrer ao cargo de deputado estadual nas eleições do próximo ano.

FONTE: site G magazine