Policiais perseguem mulheres que ocuparam Aracruz Celulose

Na manhã desta quarta, dia 22 de março, seis policiais fortemente armados e o delegado Rudimar de Freitas Rosales invadiram a sede da Associação de Mulheres Trabalhadoras Rurais do Rio Grande do Sul, em Passo Fundo. Eles arrombaram o portão da casa e, sem se identificar, encurralaram sete mulheres e uma criança na cozinha.

Após pressão das trabalhadoras, eles apresentaram o mandado de ingresso expedido pelo Juiz Dr. Sebastião Francisco da Rosa Marinho. Os policiais reviraram a sede da Associação e apreenderam computadores, CD´s, disquetes, dinheiro, cheques, cadernos e outros objetos sem fazer a listagem do que foi retirado, para controle da Justiça.

Além disso, as mulheres foram obrigadas a assinar, sem a presença de um advogado, uma intimação para depor na tarde de ontem. Os policiais permitiram que o representante legal das trabalhadoras fosse contatado apenas uma hora depois da ação. Apenas quando o advogado chegou ao local as mulheres puderam ir ao banheiro.

Os agentes envolvidos eram de Passo Fundo e Barra do Ribeiro, município onde foi ocupada a fábrica da Aracruz Celulose em 8 de março, Dia Internacional da Mulher. A empresa, que pede reparos por mudas de eucalipto perdidas na ocupação, está envolvida em denúncias de crime ambiental e violação aos direitos humanos, especialmente em uma área indígena do Espírito Santo, além de ser a principal responsável pela expansão do chamado Deserto Verde.