Paraíba realiza ato vitorioso e unificado

Café Coletivo chamou a atenção da população
Lissandro Saraiva "Tanque"

O início do dia 30 na Paraíba foi marcado por um café da manhã coletivo com os ativistas do Movimento Terra, Trabalho e Liberdade (MTL) que estão acampados há mais de uma semana na Praça João Pessoa, onde ficam os três poderes do Estado. O ato teve a participação das centrais Conlutas e CUT, além de movimentos ligados à luta pela moradia, sindicatos, entidades estudantis, partidos políticos e a população que passava no local que se integrou ao café apoiando as bandeiras de luta.

Antes, intervenções das lideranças que esclareceram a comunidade sobre o ato. A manifestação também se solidarizou com os companheiros e companheiras do MTL que tiveram seus materiais – mantimentos, fogão, geladeira, dentre outros – tomados truculentamente pela prefeitura de Ricardo Coutinho (PSB) no último final de semana sob a alegação de ser um acampamento ilegal.

Em seguida, os manifestantes seguiram em passeata pelas principais ruas do centro da cidade, com pequenas paradas ao longo do percurso até chegar à Lagoa, local onde foi realizado o ato público. No protesto, os manifestantes fizeram panfletagem com material unificado, com intervenções de várias organizações, que ressaltaram a importância do ato, organizando os trabalhadores e a juventude na luta contra o desemprego. Apontaram, ainda, a necessidade de uma greve geral a exemplo da França, exigindo do governo Lula soluções imediatas para a crise que garantam emprego e dignidade aos trabalhadores.

A Conlutas esteve presente se posicionando a favor do momento de unidade dos movimentos, mas não deixou de cobrar do governo Lula a sua responsabilidade na crise e exigiu que esse governo defenda o emprego e a classe trabalhadora ao invés dos banqueiros e dos patrões.

O PSTU esteve presente com uma coluna de militantes que contribuiu com a construção do ato, a panfletagem do material, a venda do Opinião Socialista e reafirmou a necessidade de unir os trabalhadores e trabalhadoras para lutar contra a crise do capitalismo e construir uma sociedade mais justa e igualitária, a sociedade socialista.