Os planos do Pentágono para controlar a informação

O Arquivo de Segurança Nacional dos EUA acaba de publicar um documento do Pentágono que redefine o enfoque do país em relação ao contexto midiático mundial.

O princípio-chave do documento – de título “Mapa do Caminho sobre as Operações de Informação” (“Information Operation Roadmap”), assinado por Donald Rumsfeld em 2003 -, é que não há limites na guerra de informações, já que – em suas palavras -, “as informações destinadas à propaganda, às “operações psicológicas” [em inglês, “Psy-ops”], são consumidas pelo público norte-americano e vice-versa”.

Desta forma, o plano prevê numerosas atividades militares, desde “a manipulação do pensamento do adversário“, até “o ataque às redes de comunicação do inimigo”.

A prioridade fundamental é “combater a Internet” e se preparar para uma guerra virtual. O Departamento de Defesa dos EUA deve, segundo o documento, elaborar um centro destinado para tal fim.

“Devemos melhorar nossa capacidade de ataque eletromagnético e sobre as redes de comunicação. Para dominar um combate em um centro de informação, é cada vez mais importante que nossas forças dominem o espectro eletromagnético com capacidade de ataque”. (“Executive Summary – Conclusions”)

O uso de “Psy-ops”, setor militar especializado em operações psicológicas [e “conflitos de baixa intensidade”], é mencionado com freqüência: “Devem realizar-se grandes esforços para caracterizar o potencial de audiência do adversário, e, em especial, o dos que têm o poder de decidir e suas prioridades. Se não se realizam estes esforços de análise, não será possível o lançamento de temas e mensagens das Psy-ops, de modo que sejam eficazes para modificar o comportamento do adversário” (idem).

Ainda que os EUA sempre tenham admitido a propaganda como instrumento de guerra, nunca um governo havia autorizado a influência midiática sobre seus próprios eleitores: o documento precisa, ainda, que “as mensagens das Psy-ops serão difundidas com freqüência pelos meios de comunicação para maiores audiências, incluído o público norte-americano”.

  • Baixe o documento do Pentágono (PDF – em inglês)

    (*) Voltairenet.org (2006) “Les plans du Pentagone pour contrôler l´information“. Tradução de Roberto Della Santa Barros, a partir de versão castelhana e cotejado com o original em francês. Texto disponível em: (acessado em 2/fev./2006).