Oposição se fortalece nos Correios de São Paulo

As eleições para a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de São Paulo (Sintect-SP) ocorreram de 15 a 17 de janeiro. A Chapa 2, formada pela Oposição- Conlutas, obteve 1.409 votos, ficando em segundo lugar.

A chapa vencedora foi a 3, “Responsabilidade e Conquista”, ligada ao PCdoB, com 1.799 votos. A Chapa 6, da União Geral dos Trabalhadores (UGT), ficou em terceiro, com 860 votos. A Força Sindical também participou do pleito, representada pela chapa 1, e recebeu 719 votos. Já a CUT, representada pela chapa 5, ficou em último lugar, com 662 votos. O PCO, que participava das eleições com a chapa 4, retirou-se do processo.

Oposição se consolida
Apesar de o sindicato continuar sob controle dos governistas, consolidou-se um bloco nacional de oposição ao governo e à CUT, que foi apoiado por trabalhadores dos Correios do norte ao sul do país, muitos dos quais se deslocaram para São Paulo para participar da campanha da Chapa 2. Estiveram presentes companheiros do Amazonas, Paraíba, Pernambuco, Brasília, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, bem como de cidades do interior do estado, como São José dos Campos e São José do Rio Preto.

A chapa 2 – que foi formada numa convenção democrática, reunindo os melhores ativistas da categoria – obteve, ainda, maioria em importantes locais de trabalho, como no Centro de Triagem do Jaguaré (CTP), em que fez 40% dos votos. A marca da chapa foi a defesa intransigente das reivindicações da categoria e oposição ao governo Lula.

O principal saldo desta eleição é, sem dúvida, a construção de um pólo alternativo de oposição, que possa devolver o sindicato para as mãos da categoria e colocá-lo novamente no caminho das lutas.

Post author Da redação
Publication Date