Oposição bancária impulsiona campanha salarial por fora da CUT

O Movimento Nacional de Oposição Bancária está impulsionando uma campanha salarial alternativa e de luta, por fora da CUT. A campanha será discutida e organizada no próximo dia 26 no Rio de Janeiro, durante o Encontro Nacional de Base. Além da oposição sindical de diversas cidades, devem participar os sindicatos de bancários de Bauru e região, Maranhão e Rio Grande do Norte.

A decisão de lançar uma campanha alternativa deve-se à política da CNB (Confederação Nacional dos Bancários) e Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores no Ramo Financeiro) de impor uma pauta de reivindicações “rebaixadíssima”, além de barrar a luta dos trabalhadores dos bancos estatais, impedindo os bancários de reivindicar suas questões específicas. Tal manobra ocorre através da chamada mesa única de negociação, sob o manto de uma falsa unidade.

“Este encontro é importante para criar uma alternativa à paralisia da Federação de Bancários, ligada à CUT, que abandonou as reivindicações centrais da categoria, como a reposição integral de perdas”, disse Fábio Bosco, membro da oposição bancária e candidato a deputado estadual pela Frente de Esquerda em São Paulo.

Para se ter uma idéia, apesar dos sucessivos lucros recordes obtidos pelo setor financeiro, os bancários dos bancos privados sofreram um arrocho de aproximadamente 30% nos últimos anos. Os bancários do Banco do Brasil sofrem defasagem de 80% e os da Caixa Econômica Federal de cerca de 100% – e Lula ainda diz que os bancários têm altos salários… No entanto, a pauta cutista reivindica apenas reposição da inflação no último ano, de pouco mais de 2%, e “aumento real” de 7,05%.

Sobre a proposta da Conlutas de organizar uma campanha salarial unificada entre as diversas categorias, Dirceu Travesso, bancário da oposição e candidato a deputado federal em São Paulo, afirma: “Eu acho que é essencial buscar a unidade dos trabalhadores que têm data base em setembro. Isso ajuda a criar um grande movimento para que os trabalhadores alcancem suas reivindicações”.

Post author Da redação
Publication Date