O que o Brasil tem a ver com as eleições nos EUA?

Muitos podem estar fazendo esta pergunta hoje. No entanto, as eleições nos EUA têm importantes reflexos aqui também. Apesar das bravatas de Lula, quem dá as cartas na nossa economia é o imperialismo norte-americano, que concentra 30% do PIB mundial. É o governo dos EUA que determina a aplicação de um plano econômico que mantém baixos os salários dos trabalhadores, enquanto bilhões são retirados da saúde e da educação para pagar as dívidas. Foi o imperialismo que determinou os planos de abertura econômica e privatização de FHC, colocando nossa economia nas mãos do capital estrangeiro. E, agora com Lula, exige as reformas, para retirar direitos históricos dos trabalhadores e reduzir o “custo” da mão-de-obra brasileira.

Nossa economia segue sendo dependente da dos EUA, o que faz com que todos os analistas econômicos voltem os olhos para a disputa à Casa Branca. Além da presença maciça das multinacionais norte-americanas, explorando a mão de obra e remetendo os lucros para suas matrizes, os EUA ainda são o principal destino das exportações brasileiras, com destaque para a agricultura. Sozinho, o país comprou 15,6% de tudo o que o Brasil exportou em 2007.

Além da economia, a dependência se desdobra no aspecto político. Cumprindo ordens do imperialismo, Lula enviou soldados brasileiros para ocupar o Haiti, que, assim como os soldados no Iraque, são acusados de violações aos direitos humanos. Democratas e republicanos sabem que continuarão precisando de aliados como Lula, para manter o seu controle sobre as riquezas naturais e os povos do mundo.
Post author
Publication Date