o que foi dito sobre a marcha

“Este ato fecha uma primeira etapa da luta contra as reformas neoliberais, e a manifestação está fantástica, a despeito de todos que jogaram contra. Demonstra o acerto que foi a construção da Conlutas”.
José Domingues
ANDES

“A importância deste ato é a denúncia de que os trabalhadores estão contra as reformas, que só beneficiam o sistema financeiro”.
Maria Lúcia Fatorelli
Unafisco

“A nossa reforma é pelo passe-livre, por mais verbas para a Educação, não é a reforma para os banqueiros”.
Júlia Eberhardt, diretora da UNE – Oposição

“Foi uma grande vitória. Mostra que é possível romper as amarras que as centrais sindicais impõem”.
Luís Carlos Prates Mancha
Sindicato dos Metalúrgicos de S. José dos Campos

“Nem a CUT, nem a Força Sindical, falam em nome dos trabalhadores. Ou muda essa política ou os trabalhadores mudam pelas suas próprias mãos”.
Oraldo Paiva, Federação Democrática dos Metalúrgicos MG

“Parabenizo os companheiros da Conlutas por essa manifestação vitoriosa, esse é pontapé inicial da luta contra as reformas”.
Babá, Dep. Federal – PSOL

“Contra tudo e contra todos, o primeiro ato público do Conlutas provou que existe resistência do movimento sindical e da juventude aos planos neoliberais do governo Lula. Independentemente das direções das centrais sindicais e da UNE, essas lutas vão continuar”.
William Carvalho
Sindicato Nacional de Educação Básica e Profissionalizante (Sinasefe)

“Escolhemos o nosso lado, não é o do Lula ou o do superávit primário”.
Iranilson Brasil
Unafisco

“Este ato foi construído com essa quantidade enorme de pessoas apesar do boicote das centrais sindicais, da UNE, dos setores da esquerda cutista e do PSOL. A força do movimento, a criatividade dos ativistas e a existência do Conlutas possibilitaram essa vitória”.
Zé Maria
Presidente Nacional do PSTU. Executiva da CUT

Post author
Publication Date