O PT e a burguesia estão tentando impor a censura na campanha eleitoral

Partidos se unem e entram na Justiça contra propaganda eleitoral do PSTUOs candidatos do PT e da burguesia não agüentam mais as verdades que o PSTU está mostrando no seu horário eleitoral na TV e no rádio e, em várias cidades, tentam cassar o tempo do partido no horário gratuito.

O PSTU tem na campanha eleitoral um tempo dez vezes menor que o do PT na maioria das cidades do país. Porém, tem um acesso a entrevistas nos noticiários 100 ou 200 vezes menor. Ainda assim, o PT está tentando, em vários locais do país, retirar a campanha do PSTU na TV e no rádio, porque nós afirmamos que o governo Lula traiu as esperanças do povo brasileiro e está aplicando o mesmo programa de FHC.

O PT entrou com ações por direito de resposta e exigindo o fim da veiculação dos programas eleitorais de nosso partido (até onde temos notícias) em: Natal, Recife, Belo Horizonte, Florianópolis, Joinville, Itajaí, Belém, Salvador, São Carlos, São José dos Campos e Sorocaba. Alegam injúria, calúnia e difamação, e que estaríamos ridicularizando o Presidente da República, os candidatos e os partidos.
Felizmente, a maioria destes pedidos está sendo negada, como foram os caso das cidades de Itajaí, Belo Horizonte, Salvador, Recife, São José dos Campos, Sorocaba e Joinville. Nas demais cidades, o julgamento ainda não ocorreu. O fato é que até agora o PT não ganhou integralmente nenhuma ação. Nenhum programa do PSTU foi tirado do ar.

O termo “traição” não é utilizado só por nós, do PSTU, em relação ao governo do PT. É utilizado por todas as mobilizações do funcionalismo federal e dos petroleiros contra a entrega das reservas do país. Trata-se de uma acusação política e não moral ou pessoal, que nós mantemos integralmente.

É, portanto, um ataque não só ao PSTU, mas a todos que ousam dizer a verdade em relação a este governo, se recusando a tentar mais uma vez enganar o povo com promessas eleitorais mentirosas, como fazem os demais candidatos. Por isso, apesar desses ataques, o PSTU continuará a veicular seu programa eleitoral.

Em São Paulo, Marta e Maluf querem cassar o programa dos “candidatos super mentirosos”.

O candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PP, Paulo Maluf, acusado de remeter ilegalmente dinheiro para Suíça, também está entrando na Justiça com pedido de direito de resposta contra o horário eleitoral do PSTU. O argumento de Maluf é que a paródia apresentada no programa do PSTU, “Os candidatos supermentirosos”, degrada e ridiculariza o candidato. Maluf, ao que tudo indica, vestiu a carapuça e se reconheceu como candidato “supermentiroso”. Maluf, Marta e tantos outros candidatos esquecem as brigas que encenam em público e dão as mãos para silenciar o PSTU, não deixando que a população saiba a verdade: os que estão aí são todos iguais.
Post author Américo Gomes, da Direção Nacional do PSTU
Publication Date