Notas

PÉROLA
“Quem não reagiu está vivo

Governador Geraldo Alckmin (PSDB), defendendo a operação da Rota, grupo de elite da Polícia Militar, que deixou nove mortos (FSP 13/07).

PORTEIRAS ABERTAS 1 – A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural aprovou, no último dias 12, um substitutivo que regulamenta a compra de terras brasileiras por pessoas e empresas estrangeiras.

PORTEIRAS ABERTAS 2 – Atualmente, o comércio de terras para estrangeiros e empresas brasileiras controladas por estrangeiros sofre restrições. Porém, o texto aprovado não impõe restrições ao capital estrangeiro.

RESPOSTA A CENSURA
Professores das escolas públicas de Buenos Aires, Argentina, realizaram uma paralisação de 24 horas depois que o prefeito da cidade, Mauricio Macri, afastou um grupo de docentes e funcionários. O motivo do afastamento foi a divulgação de um vídeo no qual há a encenação de um peça teatro criticando o prefeito e sua política para educação. “Temos que fazer alguma coisa com a escola pública, hein?”, diz um hipotético Macri para um suposto secretário de Educação, que responde: “Então vamos desprestigiar os docentes e a escola pública!”. A paralisação, realizada no último 31 de agosto, teve uma adesão de 80% da categoria.

CONDENADOS
A Justiça Federal condenou o Governo da Bahia a pagar R$ 10 milhões em razão da violenta repressão da PM à manifestação de indígenas na festa dos 500 anos do Descobrimento do Brasil, realizada em 22 de abril de 2000. Participavam da festa o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o ex-governador César Borges (PFL). As imagens da violenta repressão são marcantes. Policiais armados contra crianças e mulheres indígenas chocaram o mundo e mostraram o verdadeiro caráter da festa oficial. Na repressão, 141 pessoas foram presas e ao menos 15 índios se feriram. Ainda cabe recurso. A decisão está agora nas mãos do PT e seu governador Jaques Wagner.

A POLÍCIA QUE MAIS MATA
Funcionário da empresa Ultraserve, que presta serviços à Petrobras, Cláudio Charles Gonçalves foi preso no dia 28 de agosto acusado pela empresa de tentar levar para casa uma pequena quantidade de frango, sobra do almoço, que ia ser jogada no lixo. Após ser algemado, Claudio foi levado por uma viatura da polícia e passou alguns dias no Presídio de Segurança Máxima Bangu II, para depois ser transferido para o município de Japeri (RJ). Mesmo pagando fiança no valor de um salário mínimo, R$ 622, Cláudio continuou preso sem ser julgado. Passou oito dias na prisão e só foi solto apenas no dia 4 de setembro. Outros dois colegas de Claudio também foram acusados de roubar comida do lixo e tiveram prisão preventiva decretada. Só não foram presos porque não estavam em casa no dia em que a polícia levou Claudio.

PRESO POR ROUBAR COMIDA
De janeiro a julho deste ano, a Polícia Militar do estado de São Paulo matou 271 pessoas, 15% a mais do que no mesmo período em 2011. Segundo o Instituto Sou da Paz e da Ouvidoria da Polícia, o mês em que a PM mais matou foi em maio: 52 mortes, 13% a mais do que na mesma época do ano anterior. O mês de julho ocupa o segundo lugar. De acordo com os dados divulgados no Diário Oficial do Estado de São Paulo, o mês de julho registrou 42 assassinatos somente na capital, três vezes a mais do que em julho de 2011.

Post author
Publication Date