Mulheres do Pstu, nas ruas, pelo fim da violência contra mulher

Claudia Durans participou de ato em São Paulo
Sergio Koei

As mulheres do PSTU saíram às ruas do centro de São Paulo, no último dia 16, para protestar contra a violência às mulheres, denunciar a Lei Maria da Penha, exigir a punição de agressores e reivindicar a construção de casas-abrigo.

Claudia Durans, candidata a vice-presidência da república, Janaína Rodrigues e Lourdes Quadros – candidatas a deputada estadual por São Paulo – à frente da mobilização, conduziram os cerca de 50 militantes ao longo das ruas do centro velho, exigindo o fim machismo: “Mulheres na rua contra a opressão, abaixo o machismo e a exploração”. Durante o ato, também falaram à população.

Janaína Rodrigues, candidata à deputada federal, lembrou as inúmeras mulheres que morrem vítimas do machismo e da violência. “É preciso mudar essa situação, São Paulo não quer quem bate em mulher”, frisou.

Cláudia Durans lembrou que a violência não se dá apenas no âmbito doméstico, mas também por parte do Estado, que nega às mulheres direitos básicos e qual quer candidato que queria defender as mulheres tem de defender os trabalhadores, “não basta votar em mulheres, para defendê-las, é necessário ter um programa socialista!”

Lourdes Quadros afirmou que a Lei Maria da Penha é insuficiente para atender às trabalhadoras, não foi capaz de impedir a morte de Elisa Samúdio e Mércia Nakashima, para agressores.

O ato terminou em frente à Faculdade de Direito da Usp, onde ocorreu um debate sobre a violência com a candidata a Senadora pelo PSTU Ana Luiza. Cerca de 40 estudantes participaram do debate e colocaram a urgência da organização da luta contra a violência, ressalvando que a verdadeira liberdade das mulheres só ocorrerá com o fim da sociedade de classes.