Mercosul é alternativa?

Muitos setores que se levantam contra Alca defendem como alternativa o Mercosul (Integrado por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai), dizendo que assim poderíamos construir uma forma alternativa de integração. Nada mais falso.

O Mercosul também é tratado que se baseia no livre comércio, ou seja, é um projeto de integração produtiva que só beneficia os empresários. Entre os maiores defensores do Mercosul, encontram-se as multinacionais que vêem uma possibilidade de ampliarem seus mercados. Após a instalação do acordo, o volume de exportações brasileiras para a Argentina aumentou 732%, em 1999. No entanto, 42% de todas essas exportações são de multinacionais instaladas no país.

Mercosul e a Alca européia

O Mercosul é parte da recolonização imperialista e ajuda a trilhar o caminho para a Alca. Prova disso são as recentes negociações entre o Mercosul e a União Européia para criar um acordo de livre comércio semelhante ao da Alca. A União Européia procura ampliar mercado para suas multinacionais nas áreas de serviços, compras governamentais, propriedade intelectual e amplas garantias para seus investidores. Apesar disso, os negociadores do Mercosul estão encaminhando “generosas” propostas ao imperialismo europeu. Em uma das rodadas negociadoras, os países sul-americanos propuseram reduzir tarifas de cerca de 90% dos produtos industriais importados da União Européia. Em uma das ofertas – avaliada como insuficiente pelos europeus – o Mercosul acabaria com as tarifas sobre os automóveis fabricados na Europa, gradualmente, em vinte anos. Se fosse assinado o acordo, as montadoras poderiam optar por fabricar automóveis no exterior, diminuindo a produção no país e destruindo milhares de empregos nas montadoras. Há uma falsa idéia sobre o imperialismo europeu. Muitos o definem como mais “gentil”, menos voraz e truculento do que o imperialismo norte-americano. Esta idéia é totalmente errônea. Basta lembrar que, nos processos de privatização das estatais brasileiras, muitas foram parar nas mãos de multinacionais européias, como é o caso das empresas que integravam o sistema Telebras, exemplos do que há de mais corrupto no submundo empresarial.

As ofertas que os países do Mercosul estão fazendo aos europeus se tornarão referências para as futuras negociações da Alca e mostram que o Mercosul não é alternativa, mas um instrumento para pavimentar o caminho da recolonização no Brasil.

Post author
Publication Date