Macapá: após greve de rodoviários, patrões demitem sindicalistas

Empresários de ônibus de Macapá (AP) perseguem e atacam dirigentes do sindicato dos trabalhadoresOs Rodoviários do Macapá (AP) enfrentam os ataques da patronal, após vitoriosa campanha salarial realizada no mês de junho. Durante a campanha, a categoria realizou uma greve de oito dias, no qual conquistou a redução da carga horária de 44h para 42h semanais. Após o término desta paralisação, foram demitidos dois dirigentes sindicais, Albino Melo de Miranda e José Luiz Carvalho, da Empresa de Ônibus Cidade de Macapá. Estes sindicalistas tiveram importante participação durante a greve e, esta medida, foi uma tentativa dos patrões de enfraquecer o movimento.

Diante destes ataques, o Sindicato dos Rodoviários do Amapá juntamente com a Conlutas, está iniciando uma Campanha de Solidariedade contra estas demissões e pela reintegração destes funcionários.

Segundo o membro da Conlutas Amapá Genival Cruz Araujo, esta não foi a primeira vez que funcionários são demitidos injustamente, após paralisação. Os rodoviários do Amapá têm sofrido ataques da patronal desde 2002. No final de 2008, foram demitidos nove diretores sindicais. Neste período, a Conlutas conseguiu a reintegração de cinco destes dirigentes, com envio de moções e apoio judicial. “Vários sindicatos filiados à Conlutas contribuíram financeiramente, enviaram moções e nos ajudaram muito, neste sentido pedimos novamente apoio”, disse Araujo.

Na Campanha Salarial de 2010 a patronal atacou o Sindicato com o não repasse financeiro, com a ameaça de quem se filiasse seria demitido, além deste último ataque com a demissão dos dois dirigentes.

Araujo informa ainda, que as empresas utilizam estas demissões como forma de enfraquecer a diretoria do Sindicato que ao longo de oito anos, tem conseguido importantes avanços para os rodoviários, com melhorias nas condições de vida dos trabalhadores.

“Qualquer ataque aos trabalhadores é um ataque ao conjunto da classe trabalhadora, fazemos um chamado a este conjunto para que através da Conlutas se some nesta Campanha de solidariedade”, salientou Araujo.

Nesta sexta-feira (16) o Sindicato dos Rodoviários do Amapá, fará uma reunião para definir os rumos da campanha, como endereço de envio de moções e demais encaminhamentos. Todas as medidas de apoio serão amplamente divulgadas pela rede e pelo site da Conlutas.