Impedir a entrega de nosso petróleo

Faltam poucos dias para o governo Lula cometer um dos maiores crimes contra nossa soberania. Continua marcada para os dias 17 e 18 de agosto a sexta rodada de licitações das áreas de extração e produção petrolíferas do país, que leiloará os chamados “blocos azuis”, nada menos do que metade das nossas reservas conhecidas de petróleo. A empresa que arrematar essas áreas, além de ter lucro garantido, terá de destinar toda a produção para a exportação, abastecendo, assim, o mercado mundial.
A decisão do governo rouba qualquer perspectiva de auto-suficiência na produção de petróleo, que, segundo estudos, poderia ser alcançada nos próximos dois anos. Atingir a autonomia na produção de petróleo seria um grande avanço para o Brasil, pois estaríamos livres dos altos preços imposto ao petróleo pelos Cartéis das Multinacionais. Aliás, hoje o preço do petróleo poderia estar muito menor, pois já produzimos mais de 90% do petróleo que consumimos. No entanto, Lula cede às pressões das empresas estrangeiras estabelecendo o valor exigido por elas como no mais recente caso do aumento dos combustíveis.

Além disso, a manutenção da rodada de licitações é um imenso retrocesso colonial, doando nossas reservas para alimentar o crescimento econômico dos países imperialistas.

Sabe-se hoje que o mudo vive à beira de um choque estrutural do petróleo. Especialistas afirmam que, entre 2010 e 2015, o mundo atingirá o pico da produção de petróleo. A partir daí a tendência de queda na produção será inevitável, e o preço do barril vai disparar, podendo custar até US$ 100, contra os US$ 40 cobrados atualmente.

Além disso, poderosas multinacionais do setor de petróleo falsificaram os números de suas reservas para terem suas ações mais valorizadas nas Bolsas de Valores. Países que são grandes produtores de petróleo fizeram o mesmo, inflando em até 40% o potencial real de suas reservas.

O governo do PT, se mantiver a sexta rodada de licitações, vai entrar para história, ao lado de FHC, como um dos governos mais entreguistas de todos os tempos. Num passado bem recente, FHC pôs abaixo o monopólio de extração de petróleo, e agora sobrou para Lula fazer o restante do serviço sujo, entregando ao imperialismo as riquezas de nosso subsolo.

É preciso reagir ao entreguismo do governo Lula. Em todo o país devemos conclamar a população a lutar contra a sexta rodada de licitação, mobilizando os trabalhadores, confeccionando panfletos e cartazes, com uma ampla campanha publicitária com inserções nas rádios e nas TVs para impedirmos mais esta ação recolonizadora.
Um grande exemplo já está sendo dado. No próximo dia 12, será realizado um grande ato em frente à sede da Agência Nacional de Petróleo (ANP), no Rio de Janeiro, contra a rodada de licitações. Para que esta atividade alcance grande repercussão, será necessária a presença do maior número possível de trabalhadores e da juventude. Entidades e sindicatos devem organizar caravanas. A Conlutas estará participando com sua coluna nesta mobilização. Os petroleiros também devem exigir que a Federação Única dos Petroleiros (FUP) chame uma paralisação para esse dia. É preciso impedir que Lula entregue nossa soberania.

Post author
Publication Date