Golpe da Reitoria: UFPR adere ao REUNI às pressas

No dia 30 de outubro, de forma golpista e antidemocrática, foi aprovada a adesão da Universidade Federal do Paraná (UFPR) ao Reuni. O Conselho Universitário (Coun) foi convocado com menos de 24h de prazo para divulgação, encerrando de forma brusca o diálogo que o movimento de ocupação da reitoria e as entidades representativas das três categorias da universidade tentavam estabelecer. O prazo instituído para as convocações do Coun é de 48h, para que os conselheiros e a comunidade acadêmica sejam informados.

Além disso, o conselho foi realizado na maternidade do Hospital de Clínicas, local que restringe o acesso e a manifestação. A escolha do local e o prazo restrito demonstraram a vontade de manter uma decisão tão importante para a UFPR restrita a um espaço pouco democrático (o Coun é formado por 70% de professores e apenas 30% de estudantes e servidores).

Como se não bastassem os empecilhos colocados, a reitoria ainda pediu auxílio à força policial para impedir a entrada dos estudantes no prédio. Todas as entradas do HC foram controladas pela Polícia Federal (PF). Impossibilitados de entrar no hospital e proibidos de se manifestarem, por causa dos pacientes, os estudantes realizaram um funeral simbólico da democracia. Carlos Augusto Moreira Jr. é um dos poucos reitores da história da UFPR a utilizar força policial para reprimir estudantes. Nenhuma outra gestão convocou tanto a PF e por tão pouco.

Questionamos a legitimidade da decisão do Coun, mantemos a ocupação da reitoria e convocamos toda a comunidade acadêmica para decidir em assembléia a continuidade das lutas. Nossa luta, agora, está apenas começando!

LEIA TAMBÉM: