GM parada: metalúrgicos aprovam greve de 24h

Metalúrgicos aprovam paralisação

Paralisação foi aprovada por trabalhadores em assembleia nesta segunda-feiraEm assembleia nesta segunda-feira, dia 16, os metalúrgicos da GM de São José dos Campos aprovaram greve de 24 horas. A paralisação é mais uma ação para garantir a manutenção dos postos de trabalho na planta.

A paralisação, aprovada pelos trabalhadores do 1º turno nas portarias do MVA e da S10, acontece um dia antes da reunião, em Brasília, com o ministro da Secretaria Geral da Presidência, Gilberto de Carvalho, que vai discutir a situação dos trabalhadores da GM.

Nesta reunião, o Sindicato vai reforçar as reivindicações para impedir a demissão em massa na fábrica de São José dos Campos. A princípio, havia uma estimativa de que seriam demitidos 1.500 trabalhadores, mas os cortes podem chegar a 2 mil, considerando-se outros setores que inevitavelmente serão atingidos pelo fechamento do MVA.

Participarão, pelo Sindicato, o presidente Antonio Ferreira de Barros, o secretário geral Luiz Carlos Prates, o coordenador nacional da CSP-Conlutas, José Maria de Almeida, o deputado federal Carlinhos Almeida (PT) e o presidente do Diretório Municipal do PSTU, Toninho Ferreira.

É a segunda mobilização em menos de uma semana. Na última quinta-feira, dia 12, os trabalhadores realizaram uma paralisação de advertência de duas horas e votaram estado de greve.

“Vamos aumentar a pressão até que a GM garanta a manutenção dos empregos de todos os trabalhadores. Não dá para aceitar que a empresa seja beneficiada com dinheiro público e ainda assim faça demissões”, disse o presidente do Sindicato, Antonio Ferreira de Barros, o Macapá, durante a assembleia.

Em reunião realizada no último dia 12, a em São Paulo, na Superintendência Regional do Trabalho, a GM se negou a atender a pauta de reivindicações dos trabalhadores e alega que “a situação do mercado” é que vai definir a situação do setor.

Há algumas semanas, a empresa anunciou a redução da produção no setor do MVA, onde são fabricados os modelos Corsa, Classic, Zafira e Meriva. Já fechou o 2º turno do setor e encerrou a produção da Zafira.

A Campanha “SOS Empregos”, deflagrada pelo Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, prevê uma série de ações. No dia 18, uma comissão de trabalhadores vai a Brasília.

O Sindicato defende que a GM garanta estabilidade no emprego e quer do governo federal uma intervenção a favor dos empregos na montadora.

À tarde, nesta segunda, também haverá assembleia com os trabalhadores do 2º turno da S10. A reunião em Brasília, acontece nesta terça, às 10h.

LEIA MAIS
Artigo: a luta contra as demissões na GM