Gaúchos param em protesto ao “pacotão” de Yeda

Trabalhadores, estudantes e movimentos sociais realizam, nesta quarta-feira, 7, um dia de greve geral no Rio Grande do Sul. Os gaúchos protestam contra o pacote econômico da governadora Yeda Crusius (PSDB). Em todo o estado, ocorrerão atos regionais para rechaçar o chamado “pacotão”. Na capital Porto Alegre, a concentração pra o ato centralizado será às 10h, em frente à prefeitura, no centro da cidade.

A manifestação está sendo convocada por centrais sindicais, sindicatos, partidos de esquerda e movimentos sociais. Devem paralisar suas atividades trabalhadores de fábricas, de empresas privadas e servidores públicos. O Cpers-Sindicato, que representa os professores e trabalhadores de escolas da rede estadual de ensino, já confirmou que vai parar nesta quarta. O Cpers é o maior sindicato do rio Grande do Sul, representando cerca de 80 mil trabalhadores em educação.

O plano foi encaminhado à Assembléia Legislativa e deve ser votado pelos deputados até o final do mês, segundo informou a agência Chasque. A medida do governo do Estado prevê, entre outras coisas, aumento de impostos, aumento de tarifas – luz, telefonia e combustíveis -, congelamento de salários, cortes de verbas para educação e outras áreas sociais, privatizações e a criação dos Oscip, espécies de fundações privadas que assumirão a administração e gestão dos órgãos públicos.

Os materiais de divulgação e chamado à paralisação alertam: “Pare agora ou pague para sempre”