Fora Bush do Iraque e Lula do Haiti

Desde agosto de 2004, os soldados brasileiros participam e lideram uma ocupação colonial no Haiti, sob a cobertura de uma “missão de paz” da ONU. A Minustah, como é chamada, tem ainda a participação de soldados de outros países latino-americanos, como Argentina, Chile, Uruguai, Bolívia, entre outros.

Recentemente vieram à tona novas e terríveis notícias que revelam o caráter das tropas de ocupação. Em um ataque ordenado pelo Conselho de Segurança da ONU, no dia 24 de janeiro, soldados protegidos por helicópteros entraram nos bairros mais pobres da capital, Porto Príncipe, com tanques blindados e fuzis automáticos de alto poder de fogo. Estima-se que este ataque deixou, no mínimo, 70 mortos e dezenas de feridos, muitos deles crianças. Foi mais um massacre que a ação repressora da Minustah realiza sistematicamente no país. O próprio embaixador norte-americano, James Foley, advertiu seu governo sobre “o uso excessivo da força por parte da ONU”.

O Haiti é o país mais pobre das Américas e está localizado em uma região chave para o imperialismo ianque. Ao longo da história, o país sofreu sistemáticas invasões por parte dos EUA. A última foi em 2004, para derrubar então presidente Jean-Bertrand Aristide. Após a invasão, foi instalado um regime colonial que só existe graças à ocupação militar liderada pelo Brasil.

Como está atolado no Iraque, Bush acabou “terceirizando” a ocupação. Mas a insatisfação cresce a olhos vistos e se expressa em ações de massas contra a Minustah e o governo fantoche haitiano. No dia 16 de dezembro, mais de dez mil pessoas se mobilizaram gritando “abaixo ao governo” e exigindo a volta de Aristide, o fim da ocupação militar e a libertação dos presos políticos.

É vergonhosa a postura do governo Lula de enviar soldados brasileiros para repetir no Haiti os mesmos crimes que as tropas ianques cometem no Iraque.

Todos os ativistas que lutam contra Bush e o imperialismo devem prestar todo apoio e solidariedade à luta do povo haitiano contra a ocupação. É preciso denunciar os massacres como uma nova mostra da crueldade do imperialismo para defender seus interesses.

Chamamos todos os ativistas e organizações que se reivindicam antiimperialistas e democráticas a exigir a imediata retirada das tropas brasileiras do Haiti e realizar uma grande campanha unitária.

Fora Minustah do Haiti!
Que o governo Lula retire imediatamente seus soldados!
Viva a luta do povo haitiano!

Post author
Publication Date