Estudantes protestam contra reforma Universitária em debate em São Paulo

Faixas da Conlute na porta do jornal Folha de S. Paulo
Jeferson Choma

Mesa reúne Tarso Genro e ex-ministros da EducaçãoUm grupo de estudantes realizou um protesto nesta quinta, 24, contra o ministro da Educação, Tarso Genro, que participava de um debate sobre a reforma Universitária na sede do jornal Folha de S. Paulo. Além de Genro, o debate contou com os ex-ministros da Educação Paulo Renato e Cristóvam Buarque. Os manifestantes da Coordenação Nacional de Lutas dos Estudantes (Conlute) denunciavam que o debate seria um jogo de cartas marcadas, uma vez que seus participantes têm em comum a defesa da reforma, ainda que com diferenças pontuais. Cartazes e bandeiras foram levadas para a manifestação com dizeres “Abaixo a reforma do FMI” e “A UNE não fala em nosso nome”, denunciando o caráter mercadológico do projeto e o papel traidor da UNE, que apóia a reforma do governo.

Em frente à sede da Folha, os estudantes cantavam palavras-de-ordem e discursavam contra o projeto. “A reforma vai transformar o ensino público em mercadoria, tirando mais verbas das universidades, obrigando elas a captarem recursos na iniciativa privada”, declarou José Erinaldo Júnior, membro da Conlute. Ele ainda falou que a intenção do projeto do governo é aumentar ainda mais a farra dos empresários do ensino pago, ampliando as isenções fiscais das universidades privadas, “enquanto mantém intacta os abusivos valores cobrados nas mensalidades”.

Saindo pelos fundos
Os estudantes esperaram pela saída de Tarso Genro, mas este proferiu sair (ou fugir) pela porta dos fundos da sede do jornal. Os estudantes, no entanto, deram seu recado: “Não tem problema não, nos próximos debates, aonde for que eles sejam, os estudantes estarão lá para dizer não a essa reforma”, declarou Júnior.