Emiliano Soto, da Conlute, resgata a solidariedade entre estudantes e trabalhadores

Finalizando o painel da parte da tarde, nesse segundo dia de Conat, o estudante da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), Emiliano Soto, representou a Conlute. Ele saudou o congresso e informou ao plenário que o ENE (Encontro Nacional de Estudantes), ocorrido na quinta-feira, 4 de maio, votou por ampla maioria a adesão à Conlutas.

Soto falou sobre a grande tarefa de reconstruir o movimento estudantil após a falência da UNE. Após a eleição de Lula, a entidade se transformou em secretaria estudantil do governo, atacando frontalmente as lutas dos estudantes. A UNE chegou mesmo a ajudar na elaboração do texto da reforma universitária, que sinaliza a privatização do ensino superior.

Ele afirmou, ainda, que a juventude estará junto com os trabalhadores na construção da Conlutas como uma central de movimentos sociais. Para ele, a unidade entre desses dois setores é fundamental para fortalecer as lutas e alcançar vitórias.

Leia sobre os outros palestrantes do painel “A Conlutas, a amplitude de sua composição e os desafios da sua construção”

  • Elias Alfredo afirma que Conlutas pode ser uma nova referência para a luta racial
  • João Batista, do MTL, defende unidade do campo e da cidade
  • Para Soraya Menezes, entidade deve abraçar luta contra o preconceito
  • Zé Maria defende que nova entidade não seja apenas uma central sindical