Dia Nacional Unificado de Lutas terá manifestações em fábricas e ruas de São José dos Campos

Protestos acontecem nesta sexta-feira, dia 14, e devem mobilizar diferentes categoriasA Conlutas e o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos participam nesta sexta-feira, 14, do Dia Nacional Unificado de Luta, com uma série de manifestações contra a crise, as demissões e em defesa das reivindicações da classe trabalhadora.

O dia 14 foi definido pela Conlutas juntamente com as demais centrais sindicais e movimentos sociais do país. Haverá manifestações de trabalhadores que estão em campanha salarial, movimentos populares e centrais sindicais. Greves, paralisações, passeatas, assembleias e protestos acontecerão nas fábricas e em locais públicos.

Em São José dos Campos, os metalúrgicos vão realizar mobilizações nas fábricas como forma de intensificar a Campanha Salarial. Os trabalhadores vão exigir aumento geral dos salários, estabilidade no emprego e redução da jornada para 36 horas.

Também vamos exigir a saída do presidente do Senado, José Sarney, o fim do Senado Federal e a criação de uma Câmara Legislativa Única, bem como remédios para todos contra a gripe suína.

Na região, além dos metalúrgicos, participarão das manifestações os Sindicatos dos Condutores, Alimentação, Correios, Químicos, Petroleiros, Servidores Municipais de Jacareí, Admap (Associação Democrática dos Aposentados e Pensionistas), Apeoesp Regional e Movimento Social do Pinheirinho.

Os aposentados sairão em passeata, a partir das 9h, pelas ruas centrais de São José dos Campos, contra a política de arrocho dos benefícios promovida pelo Governo Federal. Cerca de 500 aposentados devem participar da manifestação.

Os moradores do Pinheirinho realizarão uma grande marcha, rumo ao centro da cidade, reivindicando a regularização da área ocupada.

“O governo e os patrões estão jogando a conta da crise econômica nas costas dos trabalhadores e da população com demissões, aumento da exploração e cortes nos gastos sociais. Nesta sexta-feira vamos dizer não ao arrocho e à exploração. Essa crise não é nossa. Os patrões é que devem pagar pela crise que criaram e por isso vamos à luta em defesa das nossas reivindicações”, afirma o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos e coordenador regional da Conlutas, Adilson dos Santos, o Índio.

Uma caravana com três ônibus deverá sair de São José dos Campos, por volta das 8 horas, para ir a São Paulo para participar do ato unificado de todas as centrais sindicais na Avenida Paulista.