Dia 23: trabalhadores preparam dia de luta em defesa dos direitos

Mobilizações enfrentarão ataques do governo LulaTrabalhadores e ativistas de movimentos sociais e populares preparam um grande dia nacional de luta unificado em 23 de maio. Em todas as regiões, protestos, mobilizações, paralisações, ocupações e bloqueios de estradas denunciarão os ataques do governo Lula, como a reforma da Previdência e o projeto da Super-Receita.

O dia de luta deverá ser um marco, unindo um grande espectro de forças nas mobilizações. A nota convocando a jornada de luta do dia 23 foi assinada por Conlutas, Intersindical, pastorais sociais, CSC (Corrente Sindical Classista – PCdoB), CUT, MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto), MST, Conlute, UNE, Andes, Condsef, Fenasps, entre outras entidades sindicais e movimentos sociais.

“Vamos nos manifestar contra a política econômica do governo federal, que enriquece banqueiros e grandes empresários, estrangula qualquer possibilidade de investimentos em políticas sociais, mantendo a perversa concentração de renda. Vamos nos manifestar contra a retirada de direitos trabalhistas e contra a reforma previdenciária apresentada, pois é inadmissível reduzir nossas conquistas históricas”, afirma a nota.

Mobilizações
Os professores da rede estadual de educação já votaram greve no dia 23 no Rio de Janeiro e em Santa Catarina. Já os professores estaduais de São Paulo definiram parar neste dia. A CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação) prepara um dia nacional de paralisação, exigindo a retirada do PLP 01, dispositivo do PAC que limita o reajuste ao funcionalismo; em defesa da Previdência e pela manutenção do veto à Emenda 3.

Os servidores públicos federais também vão realizar paralisação, de acordo com o calendário aprovado na última plenária nacional realizada em Brasília. O funcionalismo federal vai se mobilizar contra a reforma da Previdência e os ataques do PAC aos servidores, exigindo ainda a manutenção do veto à Emenda 3, mas denunciando e reivindicando a revogação de todo o projeto da Super-Receita.

Os metalúrgicos de São José dos Campos (SP) e de várias cidades de Minas Gerais paralisarão suas atividades nas fábricas. Os sindicatos da construção Civil de Belém (PA) e de Fortaleza (CE) também vão parar as obras.

O MTST, que obteve vitória importante com uma ocupação na periferia de São Paulo, decidiu promover ações na região metropolitana. Já o MST está preparando atividades em todo o país.

Preparação avança em Minas Gerais
Minas Gerais é um dos estados em que o processo de preparação do dia 23 é mais dinâmico. As entidades que compõem a Conlutas preparam um grande ato no centro de Belo Horizonte. Os sindicatos de BH realizarão assembléias nas principais praças da cidade, convergindo posteriormente numa grande manifestação unificada em frente à prefeitura. Os manifestantes sairão em marcha até o Palácio da Liberdade, sede do governo estadual.

Em encontro nacional realizado no Triângulo Mineiro, o MTL também decidiu organizar ações no dia 23. Já os professores da rede municipal de ensino de BH paralisarão suas atividades. Os órgãos públicos ligados ao Sintappi (Sindicato dos Empregados em Empresas de Assessoria e Pesquisas) também vão parar e o Sindicato dos Servidores Municipais (Sindibel), que recém saiu da eleição na qual a chapa da Conlutas foi vitoriosa, realizará assembléia e também fará parte da manifestação na tarde do dia 23.

Os trabalhadores da saúde pública realizarão uma assembléia estadual na mesma data, com paralisação e caravanas do interior para BH. Os servidores estaduais ligados ao Sindpúblicos, entidade filiada à CUT, compareceram à ultima reunião do grupo de trabalho da secretaria estadual da Conlutas e informaram que realizarão uma paralisação no dia 22 e enviarão representantes ao dia 23.

Entre os metalúrgicos da Federação Sindical e Democrática, filiada à Conlutas, estão sendo organizadas paralisações no interior do estado. Em algumas regiões, as manifestações serão feitas conjuntamente com o MST, possivelmente com o corte de estradas.

A última semana tem sido de intensas atividades de preparação do dia 23 em Minas. Um panfleto regional da Conlutas vem sendo divulgado nas bases das categorias. A imprensa local recebe regularmente informações das atividades previstas. No momento em que fechávamos esta edição do OS, estava prevista para o dia 16 a realização de uma grande plenária unificada das entidades que convocam o dia 23.

O evento acontece no Sindicato dos Comerciários, filiado à Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), que aceitou se integrar às atividades. Apesar de a CUT até o momento não ter incorporado a data, os membros da CSC têm participado das reuniões preparatórias.

Atos devem enfrentar o governo
Apesar da intensa preparação, o caráter da jornada de luta do dia 23 ainda não está definido. A CUT e demais setores atrelados ao governo manobram para transformar a data num dia de apoio ao governo e seu veto à Emenda 3. Por isso, torna-se necessária a divulgação ampla da nota conjunta convocando o dia, assim como a preparação na base das categorias, denunciando a reforma da Previdência do governo e sua política neoliberal.
Post author da redação
Publication Date