Derrotadas, CUT e CTB convocam congresso fraudulento no sindicato de professores de Recife

Congresso foi convocado após vitória da chapa da CSP-Conlutas

PT (CUT) e PCdoB (CTB) preparam seu último golpe na categoria. Esse grupo, que perdeu as eleições do SIMPERE (Sindicato dos Professores da rede Municipal do Recife), mas permanece no sindicato até o dia 1º de dezembro, marcou um congresso que fere totalmente os princípios da democracia sindical.

Segundo manifesto lançado pela CSP-Conlutas, são inúmeras as irregularidades que apontam para um congresso sem legitimidade. A direção não divulgou o evento nem compareceu nas escolas para convocar a categoria e orientar sobre a eleição dos delegados. Os cartazes foram entregues por funcionários do sindicato e em pouquíssimas escolas. Além disso, o congresso não tem pauta de convocação e não houve período para inscrição de teses, dessa forma o debate político acerca dos pontos importantes para categoria fica de fora nesse congresso.

Até os aposentados saíram prejudicados nesta situação. O local da assembleia para eleger os delegados aposentados foi omitido até o último momento, resultando assim na presença de apenas seis aposentados. Como se não bastasse, durante o que deveria ser chamado de credenciamento, atual direção do sindicato (PT/CUT e PCdoB/CTB) se negou a mostrar as atas dos delegados eleitos. O absurdo foi maior quando eles não quiseram nem dizer o número total de delegados, saindo fugidos com a suposta pasta das atas dos delegados.

Para Simone Fontana, futura coordenadora geral do SIMPERE, da CSP-Conlutas, esse é um congresso de papel. “Esse golpe não é apenas contra os professores e as professoras de Recife, mas também contra a democracia sindical. Foram três anos no sindicato e nenhum congresso foi realizado para ajudar nas lutas da categoria, agora a CUT e a CTB querem a todo custo fazer esse congresso de papel“, denuncia Simone.

Essas são as falcatruas que CUT e a CTB estão acostumados a fazer no movimento sindical. Apesar do protesto da CSP-Conlutas, o congresso será realizado no dias 23, 24 e 25 de novembro. Toda essa situação mostra que a direção atual pretende, nesse congresso de papel, engessar o sindicato para impedir que a nova direção lute contra a prefeitura do PT. Eles também querem tentar desfiliar o sindicato da CSP-Conlutas de formar fraudulenta.

Entretanto, com mais de 200 votos de diferença, a Chapa 3 – Resistência e luta, da CSP Conlutas, venceu as eleições do SIMPERE. Com esta decisão da categoria, o sindicato volta para as mãos dos trabalhadores e encerra o legado do prefeito nesta entidade que pertence aos professores e professoras de Recife. Este fato é a prova de que a categoria realmente acredita e confia na CSP-Conlutas. “Não há golpe certo. A categoria mostrou nessa eleição que quer a CSP-Conlutas no sindicato para combater as maldades de João da Costa (PT)”, afirma Simone.

A direção eleita para nova gestão do SIMPERE assumirá o mandado a partir do dia 01 de dezembro. Desde já, reafirma o compromisso de uma gestão pela base de verdade, em que a categoria possa debater amplamente suas necessidades e prioridades. Os congressos da categoria vão voltar a ser com ampla discussão com a base, com critérios definidos democraticamente, cumprindo assim, o objetivo de fortalecer o sindicato e a luta da categoria.