Debate: A luta dos operários contra a ditadura militar

No início da década de 1960, o Brasil vivia intensas mobilizações operárias que conquistaram uma série de direitos, atingindo diretamente os interesses empresariais e do imperialismo norte-americano. Para barrar o ascenso das lutas da classe trabalhadora, foi articulado, em 1964, um golpe que contou com a participação de militares, empresários e do governo dos EUA que, servindo aos interesses da burguesia e do imperialismo norte-americano, reprimiu milhares de jovens e trabalhadores que se opunham ao regime militar. Torturas, prisões, sequestros, atentados e assassinatos foram comuns nesse período. Muitos destes aparatos de repressão, como a Operação Bandeirantes (OBAN), eram financiados pelos empresários.

No final da década de 1970, grandes mobilizações operárias começam a surgir em São Paulo e se alastram por todo o país. A partir da greve da Scania, em 1978; as greves em 1979 e início da década de 1980, se alastraram por São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Esta mobilização levou à construção de grandes organizações operárias, como a CUT e partidos políticos, como o PT, e obrigaram os militares e os patrões a promover a redemocratização no Brasil.

Entretanto, diversos arquivos da época da ditadura ainda não foram abertos, deixando impunes torturadores, militares e empresários que financiaram o regime. Por isso, dezenas de militantes e ex-militantes da classe trabalhadora, que lutaram contra a ditadura, estão exigindo a declaração de anistia política por parte do Estado brasileiro, bem como a abertura de todos os arquivos da ditadura para que se desmascarem os torturados, infiltrados e financiadores do regime militar e para que sejam punidos.

Para conhecer um pouco mais dessa história e luta, convidamos vocês, companheiros e companheiras, a participar de uma palestra sobre a luta dos operários contra o regime militar e pela punição dos torturadores e financiadores da repressão que contará como a participação de:

Estarão presentes também vários dirigentes operários e dos trabalhadores das lutas do final da década de 1970 e inicio de 1980 de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

SERVIÇO:
Local:
Hotel San Raphael, Largo do Arouche, n° 150, 20° andar – Centro – São Paulo, SP
Dia: 22/2/2013, sexta-feira
Horário: 18h

DEBATEDORES:
José Maria de Almeida – Presidente do PSTU e ex-preso político
Sebastião Lopes NETO – Ex-dirigente da Oposição Metalúrgica de São Paulo
Maria Cristina Salay – Ex- dirigente metalúrgica do ABC paulista e membro da Comissão de Presos e Perseguidos Políticos da ex-Convergência Socialista
Américo Gomes – Ex-metalúrgico de São Paulo, Coordenador da Comissão de Presos e Perseguidos Políticos da ex-Convergência Socialista e membro da Comissão da Verdade do Sindipetro de AL/SE