CUT apóia acordo do governo

O acordo para o pagamento das correções teve, em sua formulação, a participação ativa de sindicatos de aposentados ligados à Força Sindical e à própria CUT. O presidente da CUT, Luiz Marinho chegou a declarar que “espera que os aposentados desistam das ações judiciais e assinem o acordo com o governo”. Para o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região e candidato do PSTU à prefeitura da cidade, Luiz Carlos Prates (Mancha), “o fato do chamado Sindicato Nacional dos Aposentados da CUT estar apoiando este acordo vergonhoso é mais uma demonstração de até onde vai o caráter governista desta central que não representa mais os trabalhadores”.

Mancha ainda critica o destino que o governo Lula dá ao orçamento e faz um chamado às entidades de aposentados: “O governo Lula já economizou este ano R$ 46 bilhões para cumprir as exigências do FMI, esse valor daria para pagar três vezes a correção integral aos aposentados. É hora das associações romperem com a Força Sindical e a CUT, somando-se à Conlutas na construção de uma direção dos trabalhadores”.
Post author
Publication Date