Cresce campanha de filiações ao PSTU em Belém

Na noite de sexta-feira, 3 de agosto, ocorreu à inauguração das “Sexta Socialista na Taberna do PSTU”. Durante o período da campanha, na sede do partido, todas as sextas-feiras, irão ocorrer debates sobre os diversos temas. A ideia é construir, com os apoiadores da campanha, as propostas do candidato do PSTU à câmara de vereadores, Cleber Rabelo, 16.123.

O tema debatido nesta sexta-feira foi o transporte público e a proposta do PSTU para o sistema. A sede do partido ficou pequena para os mais de 100 presentes. Participaram da atividade trabalhadores da construção civil, professores e técnicos das universidades em greve, representantes do assentamento Mártires de Abril, rodoviários, estudantes universitários, entre outros setores.

Cleber iniciou apresentando dados técnicos do sistema de transporte: “Belém gasta apenas 1% do orçamento com transporte, em 2011 um pouco mais de 15 milhões. Em 2009, Duciomar isentou os empresários de ônibus em um total de R$84 milhões de ISS, o que represente 5 vezes o valor investido no sistema. Desde 2005 a passagem de ônibus aumentou quase 100%, em contra partida, um trabalhador que ganha um salário mínimo gasta cerca de 16% só com transporte pessoal, sem contar os filhos que tem que ir e voltar de escola todos os dias (…) e sempre quem paga a conta é o trabalhador, pobre, que sofre com a super lotação e ônibus precários”.

Em seguida apresentou as propostas que defende nesta campanha: “Redução da tarifa de ônibus; passe-livre (gratuito) para estudantes e desempregados. Isso só será possível triplicando o investimento e reestatizando o transporte coletivo com a criação de uma empresa pública controlada pelos trabalhadores e usuários”. Outra proposta é o investimento do transporte hidroviário para aproveitar a riqueza natural da cidade e melhorar a vida dos trabalhadores. Para isso será necessário se enfrentar com os empresários do setor rodoviários.

Cleber Rabelo também denunciou o BRT (Bus Rapid Transport): “a tecnologia deve estar a serviço dos trabalhadores e não contra os trabalhadores”. A implantação do BRT segue a lógica de privilegiar o transporte rodoviário e despreza o potencial hidroviário que a cidade de Belém possui. Além disso, com a implantação desse sistema, a categoria de cobrador de ônibus será demitida em massa.

Com clima empolgante, o plenário saldou a candidatura e contribuiu para construção de uma proposta coletiva com os trabalhadores.

Outro clima que contagiou a plenária foi ter a possibilidade de pela primeira vez o PSTU eleger um vereador em Belém. Clima que também recobra a responsabilidade de todos os apoiadores em construir uma campanha classista e que defenda um projeto socialista para os trabalhadores.

Em nome da direção nacional do partido, Atnágoras Lopes dizia: “Estamos na frente eleitoral, mas não damos um cheque em branco para Edmilson. Queremos eleger Cleber e Edmilson para lutar pela classe”.

Fortalecendo uma alternativa operária e socialista
Foi uma discussão regada à política e cultura. A poesia surgiu na voz do operário Beija-flor: “poucos são os que semeiam, mas muito são os que colhem o que eu planto. Hoje estamos semeando uma coisa que é verdadeira, o socialismo no meu e no seu coração”.

Mas não parou por aí, também houve música. O operário da construção civil Sonival Costa apresentou, à capela, uma música de apoio à candidatura de Cleber, composta no calor da plenária, que empolgou os presentes.

Cleber Rabelo lembrou a cultura do povo negro, homenageando o mestre em capoeira Edimar Silva, militante do PSTU e membro do movimento de cultura na cidade. No mesmo dia se comemorava o dia do capoeirista.

A atividade foi encerrada com Cleber Rabelo convocando todos os presentes a construírem a campanha, mas não só isso, a serem parte de uma luta para mudar o mundo, chamando todos a se filiarem ao PSTU.

Durante a atividade foram feitos vários cadastros de apoiadores; já são quase 700 pessoas listadas. Mais do que isso: dezenas de trabalhadores e estudantes decidiram dar um passo adiante e 34 apoiadores filiaram-se ao partido. A cada dia, cresce o numero de trabalhadores que ingressam oficialmente em nossas fileiras, assinando a ficha de filiação para contribuir com o partido das lutas e do socialismo.

Sonival Costa, além compor a música para campanha de Cleber Rabelo também assinou a ficha de filiação e fez questão de dizer: “estou com o PSTU pro que der e vier”. E assim como Sonival, desde que a campanha iniciou, mais de 70 trabalhadores se filiaram ao PSTU.
Post author
Publication Date