Contraf-CUT manda CEF suspender liberação de diretor sindical em Bauru (SP)

Os pelegos da Contraf-CUT mandaram a direção da Caixa Econômica Federal (CEF) cortar a liberação do diretor Carlos Alberto Castilho, o Beto, militante do PSTU, ativista da Conlutas e bancário da CEF, eleito e legitimado por 86% dos votos em assembléia específica da categoria para permanecer liberado pelo banco, à disposição da luta dos trabalhadores. Uma imunda retaliação política! A Contraf-CUT disputou, perdeu e, agora, quer roubar os bancários de Bauru e Região!

A pelegada cutista investiu um dinheirão em campanhas eleitoreiras, mas perdeu tudo em Bauru e Região. A chapinha pelega da CUT foi derrotada nas eleições do Sindicato (63,7% a 36,3%), em fevereiro, e foi novamente derrotada na Assembléia de Liberações (86% a 14%), em março, ou seja, a Contraf-CUT disputou e perdeu feio para os bancários da Conlutas! Agora, arruinada politicamente, a pelega Contraf-CUT decidiu se vingar dos bancários de luta e se uniu à direção da CEF para cortar a única liberação do Sindicato, que é uma histórica conquista dos mais de 600 bancários da CEF em Bauru e Região.

Em sua suja circular 047/07, a pelega Contraf-CUT teve a cara-de-pau de determinar que a CEF simplesmente cortasse a liberação do diretor Beto Castilho, sem quaisquer esclarecimentos ou justificativas. Esse golpe sujo revela uma grosseira perseguição política, que prejudica gravemente os trabalhadores bancários de Bauru e Região, que podem perder seu legítimo representante, designado em assembléia específica. Ao fazer esse conluio com a direção da CEF para violentamente cortar a liberação de Beto Castilho, a pelega Contraf-CUT tenta roubar algo que pertence aos 2.506 trabalhadores bancários de Bauru e Região. Essa liberação não é propriedade dos pelegos da Contraf-CUT, nem da direção da CEF, mas sim propriedade dos trabalhadores bancários de Bauru e Região, que já escolheram Beto Castilho para representá-los com sua liberação. Aprendam a perder, pelegos cutistas!

O diretor Beto Castilho não obedeceu, nem obedecerá a determinação da CEF! Junto com o Sindicato e os trabalhadores bancários de Bauru e Região, seguirá lutando para manter sua legítima liberação, contra mais essa grave traição da pelega Contraf-CUT. De uma forma ou de outra, Beto Castilho e o Sindicato dos Bancários de Bauru e Região seguirão na trincheira dos trabalhadores, lutando a boa luta e enfrentando governos, patrões e traídores. Até a vitória!

Assembléia organizará reação contra corte da liberação da CEF
Haverá, nessa quinta, dia 17 de maio, uma assembléia específica para que todos os bancários sindicalizados possam participar das discussões e tomar decisões acerca da resposta dos trabalhadores bancários de Bauru e Região, que deverão reagir contra mais esse ataque pelego da traidora Contraf-CUT.