Coletivo de Metalúrgicos da Conlutas de Campinas se reúne

Representantes de várias fábricas da região discutiram as próximas eleições do sindicatoNo dia 29 de março, a Conlutas de Campinas deu um passo importante para sua construção na cidade: reuniu um grupo de metalúrgicos, representando várias fábricas, para organizar as próximas eleições sindicais. Uma grande vitória.

Além dos operários de Campinas e região, também marcaram presença o companheiro Vivaldo do sindicato dos metalúrgicos de São José dos Campos.

Em clima de debates politizados, a reunião foi pautada, principalmente, pela discussão do programa que os metalúrgicos de Campinas ligados à Conlutas vão defender no processo das convenções que formarão a chapa.

Atualmente, a Conlutas conta com apenas um diretor no sindicato, que têm como corrente majoritária a ASS (ligada à Intersindical). O processo eleitoral será feito através de uma convenção dividida em quatro etapas. Nesta convenção, a proposta é que participem todas as forças que estão presentes atualmente na diretoria e, a partir disso, se monte a chapa que disputará as eleições.

Reconhecemos que o Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas e Região é uma referência de luta contra a retirada de direitos, inclusive, faz parte dos sindicatos que não se renderam às políticas de parcerias com os governos e com os patrões. Por este motivo, é que os metalúrgicos da Conlutas estarão disputando as convenções com o objetivo de construírem uma única chapa de luta para a categoria.

Hora de construir
Um comitê formado por pelo menos um representante de cada fábrica foi montado e todos os presentes saíram prontos para convencer mais trabalhadores da necessidade de divulgarmos o programa da Conlutas para a categoria.

Entre os pontos principais do programa do coletivo que foram aprovados, está a defesa da unidade da categoria para lutarmos contra as reformas neoliberais do governo Lula e contra os ataques da patronal como a redução de direitos.

Outro ponto importante é o chamado à Intersindical a construírem uma única alternativa de organização da classe trabalhadora no Brasil, num processo de fusão com a Conlutas.

A reunião debateu outros pontos como o Encontro Nacional de Mulheres e o Congresso Nacional da Conlutas, duas comprovações do crescimento e da importância da organização no cenário de lutas do país.

“A Conlutas veio para retomar as lutas não só econômicas, como têm sido feito, mas também políticas”, disse um metalúrgico campineiro. E os metalúrgicos finalizam: “É hora de construir, companheiros!”.

Esta matéria foi publicada originalmente em 1º/4 e modificada em 5/4. Esta é a sua versão final.