Assembléia filia Sintrajud-SP à Conlutas

Os servidores do Judiciário federal de São Paulo realizaram uma vitoriosa assembléia no dia 11 de novembro, que reuniu cerca de 200 pessoas em pleno sábado. Um dos principais pontos foi o debate sobre a filiação do Sintrajud (Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal no Estado de São Paulo) à Conlutas, proposta que foi aprovada e comemorada pela ampla maioria dos presentes.

A atual diretoria do sindicato defendeu que o Sintrajud, que já vem participando do processo de construção da Conlutas há dois anos, oficializasse a sua filiação a esta nova entidade nacional dos trabalhadores. O diretor Cláudio Klein falou que “estamos propondo a filiação não é porque a Conlutas precisa deste sindicato, mas porque nós servidores precisamos disso. Não existe hoje outra central que esteja realmente defendendo os direitos dos trabalhadores”.

O Sintrajud participou da construção da Conlutas desde o seu início, no Encontro Nacional Sindical, em Luziânia (GO), em 2004. Esteve também nas manifestações chamadas pela coordenação e, em abril da 2005, o congresso da categoria em São Paulo aprovou a ruptura com a CUT e a participação na construção da Conlutas. Em maio de 2006, o sindicato levou uma delegação ao Conat (Congresso Nacional de Trabalhadores), que fundou a Conlutas como uma nova entidade nacional.

Neste 11 de novembro, o sindicato oficializou sua filiação com a ampla maioria dos votos de uma assembléia lotada. A filiação à Conlutas foi aprovada por 104 votos a favor, 13 contrários e oito abstenções.

A assembléia também aprovou a retomada de um plano de lutas pela aprovação e implementação do Plano de Cargos e Salários da categoria, que tramita há mais de um ano no Congresso Nacional.

Também neste dia, foram eleitos os 52 delegados que devem representar o Judiciário de São Paulo no Congresso da Fenajufe (Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário Federal e Ministério Público da União). Destes, 46 delegados foram eleitos pela chapa 1, composta por diretores do sindicato e por muitos grevistas e lutadores da categoria de todos os ramos do judiciário. Tais delegados foram eleitos por uma chapa que defende que a Fenajufe e os sindicatos da categoria se desfiliem da CUT e lutam também por uma federação nacional combativa, com uma direção de oposição ao governo. Além destes, mais seis delegados foram eleitos pela chapa 2, oposição à atual diretoria do sindicato.

LEIA TAMBÉM
Conlutas realizará Seminário Jurídico