Às vésperas do Conat, aumentam desfiliações da CUT

A debandada dos sindicatos da CUT ainda está longe de terminar. Prova disso foi a recente onda de desfiliações ocorrida nos últimos dias. Em todo o País, os trabalhadores estão recusando a central governista e apostando na construção de uma nova alternativa de luta.

TRABALHADORES DA USP ROMPEM COM A CUT
Em congresso realizado nos dias 29, 30 e 31 de março, o Sintusp, sindicato que representa os trabalhadores da Universidade de São Paulo, decidiu oficializar sua ruptura com a CUT.

Cerca de 70% dos 165 delegados decidiram pela desfiliação. O sindicato também elegeu 36 delegados ao Congresso Nacional dos Trabalhadores (Conat), representando 15.427 trabalhadores na base.

PLEBISCITOS APROVAM DESFILIAÇÃO DA CUT
Outra grande vitória dos trabalhadores se deu no Rio de Janeiro. O Sindsprev, sindicato que representa os servidores da seguridade social no Estado, realizou um plebiscito sobre a desfiliação da CUT, de 27 a 31 de março. Dos 7.648 votos, 6.791 votaram contra a CUT e apenas 782 defenderam a permanência do sindicato na central.
Outro plebiscito que também mostrou a vontade da categoria aconteceu em Santo André (SP). O Sindicato dos Servidores Municipais realizou o plebiscito sobre a desfiliação da CUT entre os dias 3 e 7 de abril. Dos 1.400 votantes, 1.172 foram favoráveis à ruptura com a central, contra apenas 212. A votação teve ainda 8 votos em branco e 8 nulos. Agora o sindicato fará uma assembléia para eleger os delegados ao Conat.

Desfiliações em Sergipe
A onda não se restringe ao Sudeste. Em assembléia no dia 7 de abril, os trabalhadores do esc, Sesi e Senai de Sergipe votaram a saída da CUT e a adesão à Conlutas. Aprovaram também a contribuição de 5% da arrecadação do sindicato (Senalba) para a Conlutas. Por fim, o sindicato dos trabalhadores em entidades sindicais de Sergipe (Sinte) também votou em congresso a desfiliação da CUT.
Post author Da redação
Publication Date