Argentina: Um novo ataque a Sebastián Romero e ao PSTU

PSTU-Argentina

Desde a mobilização de 18 de dezembro de 2017 contra a reforma da Previdência que o governo, junto a seus asseclas midiáticos (Clarin, Infobae, La Nación, TN, etc.) não dão trégua à perseguição a nosso companheiro Sebastián Romero. Durante a última semana, em sintonia com a campanha eleitoral “bolsonarista” do macrismo, essa campanha suja se aprofundou.

O batizado “Gordo Morteiro” se transformou em um símbolo do enfrentamento ao roubo aos aposentados e Macri e companhia tentaram, por todos os meios, capturá-lo para o exibir como exemplo do que acontece com quem sai à luta contra seus planos de ajuste.

Eles o tem chamado de terrorista, colocaram o astronômico preço de 1 milhão de pesos por sua cabeça (o dobro ou mais que inclusive muitos genocidas da última ditadura que se encontram foragidos). Colocaram-no na lista dos mais procurados junto a assassinos e estupradores, a fim de demonizá-lo. Recentemente, a Polícia Federal de Patricia Bullrich (ministra da Segurança) divulgou várias montagens com seus possíveis disfarces.

É tal a sanha que tem o governo contra Sebastián que, ao não poder encontrá-lo, prenderam Daniel Ruíz, também companheiro de nossa organização, que hoje continua preso na penitenciária de Marcos Paz quando, inclusive, segundo suas próprias leis repressivas e pró-empresários, deveria estar em liberdade. Daniel está preso há mais de 10 meses sem julgamento nem condenação. A campanha internacional por sua liberdade tem reunido centenas de pronunciamentos políticos, sindicais e dos Direitos Humanos, e hoje é candidato a deputado nacional por Chubut pela Frente de Esquerdade – Unidade.

Daniel Ruiz está preso há 10 meses ilegalmente, e Sebastián é perseguido

Nas últimas semanas, o La Nación, Infobae e até o programa de Lanata tem atacado Sebastián e Daniel. Agora, um novo capítulo se soma à larga lista de ataques e abusos. Na madrugada desse dia 2, invadiram a casa de Sebastián. Entraram pela janela e saíram sem levar nada. Desde o PSTU, não temos nenhuma dúvida de que se trata de mais uma provocação por parte das forças repressivas e suas máfias. Responsabilizamos o governo nacional e o governo de Santa Fé pela segurança da família de Sebastián, e exigimos que se cesse toda a perseguição contra ele, assim como a liberdade imediata de nosso companheiro Daniel Ruiz.

Comissão de Amigos e Familiares de Sebastián Romero e PSTU