Abaixo a ditadura do DCE e da reitoria da PUC-RS

As eleições para o DCE da PUCRS já são conhecidas por não terem debate, serem marcadas da noite para o dia e serem decididas por fraudes e ameaças. Este ano não foi diferente: foi tudo isso que aconteceu de novo, e a maioria dos estudantes só ficou sabendo das eleições quando chegaram para as aulas na 5º feira e descobriram as chapas “Todos somos 1”, e “Ninguém”, com suas camisetas, materiais caros e garotas-propaganda pedindo voto.

Para nós, é preciso ter democracia nas eleições, dando um fim nas práticas que hoje são comuns. No entanto, isso só pode ser feito através de uma eleição limpa, com tempo para que as pessoas se organizem e debatam suas idéias.

Essa eleição já nasceu fraudada e de cartas marcadas. Há sete chapas na eleição, mas seis são farinha do mesmo saco. Os militantes do Movimento Ruptura Socialista e do PSTU (além de alguns independentes) ficaram sabendo das inscrições um dia antes do pleito e inscreveram a chapa com o sugestivo nome de Democracia Já. Passaram de sala em sala denunciando a fraude e a máfia que habita o DCE convocando os estudantes a se mobilizarem, denunciando a ligação do DCE com a reitoria que é conivente com esta situação. Já que para o reitor é muito vantajoso que não se tenha um diretório que mobilize os estudantes contra o aumento da mensalidade e a Reforma Universitária.

Nós, do PSTU entramos nas eleições para mostrar que tem gente que é contra tudo isso, que é oposição de verdade, que quer discutir e lutar contra a Reforma Universitária (que aumentará ainda mais as mensalidades, além de dar mais dinheiro público para a reitoria da PUC); que quer garantir a redução das mensalidades e fim das punições aos inadimplentes; que quer acabar com a taxa dos R$ 3, que sustenta o DCE., etc.

Só com este programa uma chapa pode ser considerada de oposição ao DCE da PUCRS: o resto é faz-de-conta.

O QUE ERA FRAUDE … VIROU AGRESSÃO!!!

Se a eleição já estava completamente comprometida, na noite do primeiro dia da eleição o absurdo chegou ao extremo.

Vendo que iam perder as eleições no Prédio 5 (Humanas), o DCE decidiu esconder a urna deste prédio. Muitos estudantes, impedidos de votar, foram exigir democracia na sede do DCE, realizando uma manifestação. Então, o DCE com seus “seguranças” agrediu um homem e uma mulher.

Mas os estudantes não se intimidaram por isso e se organizaram mais uma vez trancando a avenida Ipiranga por mais de uma hora, fazendo passeatas pelo campus central e realizando atos em frente ao DCE. Numa nova tentativa de intimidação, uma arma foi mostrada por um integrante da chapa da atual gestão para os manifestantes, que não se acanharam e foram pra cima, mostrando que estão dispostos a enfrentar a máfia.

O PSTU repudia mais estes métodos de intimidação e repressão na PUCRS e chama todos os estudantes a seguirem com as mobilizações, a participarem do abaixo assinado pela destituição do atual DCE e por uma assembléia que convoque novas eleições.

ABAIXO A DITADURA DO DCE E DA REITORIA!

POR UM DCE DE LUTA!

DEMOCRACIA JÁ!

TODO PODER AOS ESTUDANTES!