18 de outubro: Dia nacional de luta dos secundaristas contra a reforma do Ensino Médio

Marina Cintra, de São Paulo (SP)

Só no Paraná, já são mais de 50 escolas ocupadas. Além disso, também já tem escolas ocupadas em mais seis estados pelo país! A juventude está lutando contra mais este ataque de Temer chamado “reforma do Ensino Médio”. Devemos construir uma luta forte e nacional contra essa reforma e também contra o governo de Temer, inimigo da educação, dos trabalhadores e da juventude. A PEC 241, que congela o orçamento das áreas sociais, é o exemplo de mais um ataque que atinge os jovens e trabalhadores.

Para derrotar esses projetos que retiram nossos direitos, é importante os estudantes se unificarem com os trabalhadores, pois a política de cortes na educação e nos direitos trabalhistas fazem parte do mesmo objetivo de favorecer os ricos e poderosos. Só poderemos derrotar os governos com essa unidade, construindo uma Greve Geral que pare o país. Somos a juventude que tem lado! Estamos juntos com os trabalhadores incondicionalmente por entendermos que apenas este setor é capaz de derrotar os capitalistas e seus governos.

Dia 18 de outubro faremos uma mobilização nacional contra a reforma do Ensino Médio. Queríamos convidar a todas e todos a paralisarem suas aulas nesse dia, para construirmos uma forte mobilização nacional de estudantes e trabalhadores! É preciso organizarmos a luta democraticamente, com amplas assembleias e com os estudantes decidindo os rumos do movimento e não velhas entidades pelegas como a UBES.

O que é mesmo a reforma do Ensino Médio?
No último dia 22 de setembro, Michel Temer anunciou a medida 746/2016. Essa medida vai contra reivindicações históricas dos trabalhadores e da juventude, que lutam por uma educação pública, gratuita e de qualidade. Essa Medida Provisória traz na bagagem a privatização do Ensino Médio, a desqualificação dos professores, além da retirada das matérias de sociologia, artes, filosofia, espanhol e educação física da grade curricular obrigatória.

Esse é mais um ataque iniciado pelo governo Dilma (PT) e agora aplicado pelo governo Temer, mostrando que todos os governos querem privatizar a educação e dar dinheiros aos banqueiros. Dessa forma, devemos lutar por todo país, nas escolas, nas ruas, nos bairros, universidades com professores, comunidade e estudantes contra mais esse ataque e para tirar Temer e todos que cortam da educação pública!

Fora com a reforma do Ensino Médio!
Fora Temer! Fora todos!
PT, PMDB, PSDB e o Congresso Nacional não nos representam!
Pela unificação das lutas e construção da greve geral! Construir nas lutas a aliança operário estudantil!

 

por Marina Cintra, de São Paulo (SP) e Mandi Coelho de Curitiba (PR)