1 ano de prisão: Protestos em vários países exigem liberdade para Daniel Ruiz

    Ato na Argentina exige liberdade a Daniel Ruiz

    Petroleiro argentino está há 1 ano preso pelo governo Macri por participar de protestos contra a reforma da Previdência em 2017

    No dia em que a prisão do petroleiro Daniel Ruiz pelo governo Macri completa 1 ano, vários atos ao redor do mundo denunciam sua prisão ilegal e exigem sua libertação. Reconhecido lutador da região de Chubut, Ruiz foi preso em 12 de setembro de 2018 na esteira da perseguição do governo Macri contra movimentos sociais, perseguição que se volta também contra Sebastián Romero, que ficou conhecido como o “gordo do morteiro” nas mobilizações contra a reforma previdenciária no final de 2017, entre outros lutadores.

    A luta contra a reforma da Previdência foi marcada pela repressão policial e desatou uma onda de prisões e perseguições contra ativistas no país. Daniel Ruiz está há um ano em prisão preventiva, e todos os recursos de sua defesa foram ignorados pela Justiça do país, alinhada ao governo Macri. Sequer uma data de julgamento havia sido marcada. As acusações que pesam contra ele são de “intimidação pública e atentado à autoridade”, numa evidente tentativa de intimidação e para transformar Daniel num exemplo para outros lutadores.

    No dia 10 de setembro, Daniel anunciou uma greve de fome exigindo uma reunião com os órgãos de Justiça. Frente à pressão na Argentina e internacionalmente, foi marcada uma reunião com uma comissão de advogados de diferentes países para oficializar, nos próximos dias, uma data para o julgamento.

    A Rede Sindical Internacional de Solidariedade e Luta convocou para este dia 12 manifestações, inclusive nos consulados da Argentina exigindo a libertação de Daniel e o fim de todas as perseguições e a criminalização da luta no país.

    Argentina
    No país de Daniel Ruiz o dia foi marcado por um protesto em Buenos Aires que reuniu diferentes organizações de esquerda.

    Brasil
    Rio de Janeiro
    Houve manifestação em frente ao Consulado e uma carta da CSP-Conlutas foi entregue ao cônsul argentino.

    Nova Friburgo
    Diretores do Sindicato dos Vestuários estiveram na entrada da fábrica Filó.

    Roraima
    Operários da Construção Civil de Roraima prestam solidariedade internacionalista ao lutador preso injusta e ilegalmente pelo governo Macri, e exigem: Liberdade para Daniel Ruiz!

    Campina Grande (PB)
    Trabalhadores dos Correios em greve de Campina Grande demonstraram seu apoio à libertação de Daniel Ruiz.

    Portugal
    Em Portugal houve protesto em frente ao Consulado argentino.

    Costa Rica
    Várias organizações políticas se reuniram em frente ao consulado argentino para exigir a liberdade de Daniel Ruiz.

    Estado espanhol
    Uma delegação foi à embaixada argentina em Madri para entregar em nome de várias organizações um pronunciamento em solidariedade a Daniel.

    Madri

    Catalunha

    Chile

    El Salvador
    Entrega de uma petição oficial na embaixada da Argentina em El Salvador exigindo a liberdade do companheiro Daniel.