Lula diz que não é hora de pedir “fora Temer”

Lula visita dono da Coteminas em MG

Em sua passagem por Minas Gerais nesse dia 26, o ex-presidente e pré-candidato para o Planalto em 2018, Lula, disse que não é mais o momento de pedir a saída do presidente Michel Temer. A declaração foi dada na cidade de Salinas, interior de Minas. Para ele, o povo brasileiro vai adquirir consciência para ir à rua “para a gente definitivamente não ficar gritando mais ‘fora Temer’, mas a gente gritar o nome de um futuro presidente da República ou de uma presidenta“.

A declaração foi reafirmada pelo twitter oficial da campanha de Lula à presidência: “Não queremos gritar mais ‘Fora Temer’. Queremos gritar o nome de um futuro presidente que vai ajudar a reconstruir o Brasil“, afirmou. “Vamos disputar as eleições de 2018 para provar que não se conserta esse país jogando a culpa no povo pobre, no povo trabalhador“, disse ainda no interior mineiro.

A caravana de Lula por Minas Gerais começou na segunda-feira, 23, e incluiu um encontro, nesta sexta-feira, com o filho do então vice-presidente José Alencar, o empresário Josué Gomes da Silva, dono do grupo Coteminas.

Queremos gritar “Fora Temer” sim! E Fora todos eles!
A fala de Lula se deu menos de 24h depois da segunda denúncia de corrupção contra Temer ter sido derrubada no Congresso Nacional num espetáculo explícito de fisiologismo e compra de votos. Se Temer conseguiu se safar da denúncia com a cumplicidade de um congresso igualmente corrupto, o mesmo não se pode dizer de sua popularidade. A raiva e a impaciência crescem por baixo, a ponto de se tornar de massas a vontade que Temer literalmente morra, como ficou evidente em sua rápida internação no momento em que a denúncia era votada na Câmara.

Mas a fala de Lula ajuda a mostrar o porquê Temer não cai apesar de tudo isso. Absolutamente todos os partidos da oposição não querem de fato tirá-lo lá, mas apenas desgastá-lo para capitalizar eleitoralmente em 2018. E enquanto isso, Temer vai ficando e aprovando uma série de ataques, como a reforma trabalhista e agora a previdenciária. Se antes essa estratégia era disfarçada com o movimento das “Diretas Já”, agora é de cara aberta.

Dia 10 vamos parar o país!
As eleições não vão mudar o país e nem impedir as reformas, muito menos com um programa que reedita o governo petista de conciliação de classes. O próprio Lula já disse que, se eleito, não vai revogar as reformas. O momento não é de esperar 2018. É de gritar “Fora Temer” sim, mas não só. Fora Temer, suas reformas, e todos os corruptos!

Os metalúrgicos de todo o país aprovaram o próximo dia 10 de novembro como dia nacional de lutas e paralisações. As centrais sindicais foram obrigadas a encampá-las e diversas categorias aderiram, como Correios. O congresso nacional da CSP-Conlutas aprovou o chamado ao dia e a sua construção por baixo, para impedir que as cúpulas das centrais que pensam como Lula, que não é hora de “Fora Temer”, possam jogá-lo para debaixo do tapete. É hora de parar, ir à luta e recolocar no ordem do dia uma nova Greve Geral.

LEIA MAIS

Botar a boca no trombone contra a reforma da Previdência e parar o Brasil