No dia 11 de julho,  trabalhadores, juventude e setores populares saíram às ruas em Cuba com reivindicações básicas, como alimentos, condições sanitárias e liberdades democráticas. Por todo o país, demonstraram sua insatisfação com as condições de vida na Ilha.

Como resultado, uma enorme repressão levou centenas de pessoas à prisão, entre eles, algumas dezenas de menores de idade.

Marcando os dois meses das prisões e dezenas de julgamentos sumários, a LIT-QI (Liga Internacional dos Trabalhadores – Quarta Internacional) fez uma campanha, a partir de várias seções, para lembrar os dois meses das manifestações em Cuba. Essa ação une-se aos esforços vindos de vários países para recolher assinaturas pela libertação dos presos e entregas de moções para as autoridades cubanas.

Até o dia 10 de setembro, foram recebidas 1020 denúncias de prisões, dessas, até agora, com  659 verificadas; 418 retiradas das prisões/322 dessas verificadas (saíram da prisão, mas em diferentes condições penais); 505 ainda presas/337 verificadas; 12 jovens com 18 anos ou menos ainda presos.

Participaram da ação diversos de países de 4 continentes, demonstrando a solidariedade de classe ao redor do mundo.

Confira algumas das participações na campanha

Maria Rivera – Chile


Senegal

Paquistão

Colômbia

Soraya Misleh – Palestina/Brasil

África do Sul

Venezuela

Argentina

Costa Rica

Portugal

Vera -Brasil

Paraguai

Confira toda a campanha no perfil do twitter da LIT

Assine e compartilhe o abaixo-assinado