O Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado do Ceará (PSTU-CE) se solidariza e se soma à luta contra a perseguição às e aos professores da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará (FD/UFC) Newton Albuquerque, Felipe Braga, Gustavo Cabral, Cynara Monteiro e Beatriz Xavier, todos representantes sindicais do Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Estado do Ceará (ADUFC) e da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD).

Os professores em questão estão sofrendo “Ações de Indenização por Danos Morais” e “Processo Administrativo Direto (PAD)”, sem sindicância, com indicação de demissão, a ser concluído em 60 dias. Tudo isso está baseado em uma suposta “insubordinação grave” e “quebra de hierarquia” após os referidos professores terem acionado o Ministério Público Federal contra uma resolução da Faculdade de Direito que, ferindo resolução pertinente do CONSUNI da UFC – que é o órgão superior da Universidade –, visa obrigar os professores a realizarem aulas remotas em meio à pandemia com aplicação de sanção em caso de descumprimento.

Trata-se de um caso claro de perseguição política aos referidos professores e de um completo desrespeito à, já frágil, democracia interna da Universidade. É necessário se contextualizar o papel que a Reitoria vem cumprindo nesse processo. O atual Reitor da UFC, Cândido Albuquerque, reconhecido por parte da comunidade acadêmica como “Interventor do Governo Federal” por ter sido o menos votado da lista tríplice e ainda assim escolhido pelo Governo Bolsonaro, é lotado na Faculdade de Direito e está fazendo a administração central – a Reitoria – coadunar com este absurdo perpetrado pela já mencionada Faculdade.

A atual Reitoria é a mesma que deslegitima a representação estudantil do Diretório Central dos Estudantes (DCE/UFC), tendo chegado ao absurdo de tornar público o histórico escolar de um dos estudantes. Agora, em um caso de perseguição política clara contra os referidos professores, utilizam-se da burocracia universitária para realizar este que, muito provavelmente, deva ser o pior e mais injusto ataque antidemocrático contra os docentes da Universidade desde a redemocratização.

O PSTU-CE se solidariza com a luta dos professores, servidores, terceirizados e estudantes da UFC contra todos esses abusos e chama toda a comunidade acadêmica para a realização de uma greve geral na Universidade pela estabilidade dos empregos, contra a precarização do ensino, sobretudo do ensino remoto, e pelo reconhecimento, em todas as instâncias administrativas da universidade, dos e das representantes legítimos dos estudantes.