Hertz Dias, membro da Secretaria Nacional de Negras e Negros do PSTU e vocalista do grupo de rap Gíria Vermelha

Hoje o Hip Hop militante da nova geração perdeu um dos seus mais aguerridos membros, Diogo.

Esse nosso mano foi um dos fundadores do Movimento Hip Hop militante de Alagoas, filiado ao Movimento Quilombo Brasil.

Depois foi para São Paulo, onde se destacou na construção e organização do Movimento Hip Hop O3 ( Ouvir, Ousar, Organizar).

Era um jovem preto muito dedicado a luta revolucionária, a qual fazia de maneira abnegada e apaixonada. Chegou a fazer parte das fileiras do PSTU e mesmo afastado sempre foi um grande amigo dessa organização mantendo todos os acordos programáticos.

Poucas semanas antes de ser internado, Diogo organizou o projeto de uma cyfer intitulada “Manifesto Preto”, vindo logo depois a ser internado com um tumor no cérebro.

Ao tomar conhecimento da sua internação o Quilombo Brasil resolveu dar continuidade ao projeto que reuniu várias artistas de vários estados do Brasil e o projeto foi materializado. A energia positiva foi tanta que Diogo teve uma melhora chegando inclusive a receber alta, mas logo em seguida veio a piora que o arrancou definitivamente dos nossos braços e dos braços de sua companheira Ágata, uma mulher trans que esteve sempre ao lado de Diogo, em cada segundo desse momento difícil que o nosso jovem quilombola enfrentou nos últimos meses.

Diogo se foi, mas fica seus exemplos, sua dedicação, sua sensibilidade, suas iniciativas e, sobretudo, o seu projeto de construção de uma sociedade socialista sem racismo, sem machismo e sem LGBTFobia.

O Hip Hop militante está de luto, mas por tudo que Diogo significou para nós, esse luto será transformado em luta preta e revolucionária.

Diogo Artud, Presente! Hoje e Sempre!