Paulo Lima, o Galo (Foto: Reprodução/Instagram)

PSTU São Paulo

O Ministério Público de São Paulo pediu que a justiça condene o dirigente dos Entregadores Antifascistas, Paulo Galo, a pelo menos três anos de prisão pelo incêndio da estátua do bandeirante genocida Borba Gato.

Esta ação foi uma forma de abrir um debate sobre as estátuas e símbolos que propagam o genocídio dos indígenas, negros e negras no nosso país.

A estátua de 13 metros de altura do bandeirante Borba Gato é apenas uma de tantas outras que homenageiam a história desses homens marcada pelo genocídio de povos indígenas, escravização, inúmeros assassinatos de negros e negras, estupros.

Estes símbolos são o reflexo asqueroso da própria burguesia, que acumulou sua riqueza em cima da morte, do trabalho escravo e da pilhagem.

O PSTU São Paulo se solidariza com Galo e exige sua imediata absolvição.

– Lutar não é crime! Pela imediata absolvição de Galo de todas as acusações!

– Chega de homenagear genocidas, escravistas e estupradores! Os bandeirantes não são nossos heróis! Pela retirada de todos os símbolos que homenageiam bandeirantes no Estado de São Paulo!