Foto @lucasfigfoto / CBF

Muito bom vermos milhares e milhares de torcedores com a camisa amarela da seleção vibrando nos bares, praças e diante das telas de TV. É importante resgatar o verdadeiro sentido da camisa da seleção brasileira que, de fato, é o de torcer apaixonadamente pelo nosso futebol. Esse é o verdadeiro sentido. Diferentemente daqueles que vaiam os gols da seleção diante de quarteis espalhados pelo Brasil, segundo relatos.

Parece estranho, mas é fácil de entender, visto que a extrema-direita bolsonarista não está acostumada a se sensibilizar com a felicidade e a alegria, já que ela é movida pelo ódio. Entretanto, o melhor de tudo isso é que o herói responsável por esse resgate da camisa amarela é, sem dúvida alguma, o herói certo: Richarlison. Não só pelos dois gols marcados, sendo o segundo uma obra de arte autêntica, mas pela posição que ocupa e representa fora dos gramados. É um jogador que tem consciência da sua importância como um ídolo que influencia multidões. Um exemplo relevante é o seu envolvimento na luta contra o racismo, na luta em defesa do meio ambiente e em sua associação à USP em uma campanha em defesa da ciência e da vacina.

Segundo suas próprias palavras: “Quando tiver uma causa importante eu sempre vou botar a cara, ainda mais jogando na seleção e na Inglaterra. Eu tenho essa visibilidade e sei que as autoridades olharão com carinho”. Em entrevista ao jornal Globo, em 2020, denunciou o racismo: “Li numa matéria que 75% da população pobre é preta, e que 76% das pessoas mortas todos os anos também são pretas. Coincidência? Não precisa ser o rei da matemática para concluir o óbvio”. E, na mesma ocasião, expressou a importância de seu posicionamento enquanto figura pública: “O futebol me salvou! É por isso que eu falo, me posiciono e mostro a minha indignação: pelo mínimo de dignidade e igualdade para todos os brasileiros que não tiveram a mesma sorte que eu”.

O herói certo na hora certa

Entretanto, nesse mundo diverso que é o futebol, é impossível não fazermos uma comparação com o maior ícone da atualidade na seleção brasileira que é Neymar Junior.

Diferentemente de Richarlison, infelizmente, não tem a mínima noção do seu papel social. Circulou pelas redes sociais que, se marcasse um gol, faria uma homenagem ao seu candidato derrotado nas eleições presidenciais. Em uma ocasião em entrevista para órgãos da imprensa, quando foi perguntado se sentia falta por não ter tido oportunidade de ter uma maior uma maior escolaridade respondeu: “para que eu preciso estudar com o dinheiro que eu ganho?”, esquecendo que é referência para milhares de crianças que sonham em um dia se transformar num Neymar, num Richarlison, mas que não terão as mesmas oportunidades ou até mesmo a sorte de poder conquistar uma carreira vitoriosa no futebol, mesmo tendo talento.

Segundo pesquisas recentes divulgada pela CBF, 82% dos jogadores  profissionais brasileiros ganham até R$ 1.,000,00, 14% até R$ 5.000,00 e somente quatro por cento ganham acima de R$ 5.000,00, sendo que, acima de 200 mil reais, hoje no país, somente 36 atletas percebem este salário. Contudo, não podemos fazer coro com aqueles que ironizam ou até mesmo torcem para que Neymar não se recupere para os próximos jogos da copa. Precisamos do talento de Neymar, independentemente de seus equívocos fora de campo. Dentro dele, sem dúvida, é um jogador que pode ajudar e muito na luta pela conquista do hexa campeonato assim como torcemos também pela pronta recuperação do Danilo.

As ruas estão cheias de pessoas vestidas com a camisa da seleção, e hoje, com certeza, a maioria torcendo pelo êxito do Brasil na Copa. Que Richarlison continue brilhando juntamente com as demais jogadores da seleção e que nós possamos inundar as ruas de pessoas vestidas com a camisa da seleção brasileira para celebrar a conquista do hexa campeonato.

Leia também

A seleção é brasileira ou formada por jogadores brasileiros?