Robson da Silva é o pré-candidato do PSTU ao governo do Distrito Federal nas eleieções 2022

O PSTU lançará a pré-candidatura do professor Robson Raimundo ao governo do Distrito Federal. O evento, que contará com a presença de Vera Lúcia, pré-candidata à presidência da República, será realizado na próxima terça-feira, dia 31, às 19h, na CLN 409, Bloco A, 55 – Espaço Cultural.

Além da pré-candidatura de Robson Raimundo ao governo do Distrito Federal, o PSTU lançará a pré-candidatura da servidora pública federal Elcimara Souza ao Senado; da professora Tânia Lima à deputada federal; e do auxiliar de educação Everton Salvador.

O PSTU apresentará uma chapa completa, composta por mulheres e homens da classe trabalhadora, que terão o desafio de apresentar uma saída socialistas, frente às necessidades mais sentidas pelo povo pobre e trabalhador do Distrito Federal”, pontua Robson Raimundo.

Quem é Robson?

Robson Raimundo tem 52 anos, é professor da rede pública do Distrito Federal há 22 anos, ativista sindical e do movimento negro. Foi candidato a Senador pelo PSTU-DF em 2010, 2014 e 2018. Iniciou sua militância política no Rio de Janeiro e em Roraima no movimento estudantil. Foi parte do processo de fundação do PSTU e mantem militância ativa na luta por uma educação pública de qualidade, participando de todas as greves e mobilizações do magistério do DF.

O governo Ibaneis é um desastre para os trabalhadores e trabalhadoras do DF. Aprofundou o processo de privatização e sucateamento dos serviços públicos, se envolveu em diversos escândalos de corrupção, principalmente na saúde, durante a maior crise sanitária da história do país. São centenas de milhares de pessoas que não conseguem acessar os programas de assistências social do GDF, temos uma das piores taxas de desemprego do país e índices absurdos de desigualdade social”, afirma Robson.

Nossa candidatura quer apresentar uma saída socialista contra o governo Ibanes, aliado de Bolsonaro. Mas, nossa candidatura também é uma alternativa radicalmente diferente dos governos ditos de esquerda, como Agnelo (PT) e Rollemberg (PSB), que prefiram se aliar e governar para os grandes empresários e aprofundaram os problemas sociais do DF. Para mudar esse quadro social é preciso enfrentar os grandes grupos empresariais, reestatizando e desapropriando as grandes empresas e colocando sua produção e patrimônio a serviço da população do DF e seu entorno”, finaliza.