Convenção de SP Foto Romerito Pontes

As Convenções Estaduais do PSTU e do Polo Socialista e Revolucionário aprovaram 17 candidaturas a governos estaduais em todo o país: Amapá e Pará, no Norte; Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Sergipe, no Nordeste; Distrito Federal, no Centro-Oeste; em todos os quatros estados do Sudeste (Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais); e em toda a região Sul (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul). Em Alagoas, haverá candidatos apenas aos cargos proporcionais (deputados estaduais e federais).

Em um clima de alegria e com muita empolgação, as Convenções Estaduais contaram com a presença da militância do PSTU, das correntes políticas e ativistas que estão construindo o Polo Socialista e Revolucionário. Reafirmou-se o desafio de apresentar um programa socialista e revolucionário nas eleições, partindo das necessidades mais sentidas da classe trabalhadora e do povo pobre de nosso país, fazendo a ponte com a necessidade da destruição do capitalismo e da construção de uma sociedade socialista.

São Paulo

A Convenção reuniu cerca de 300 pessoas e oficializou a candidatura da operária negra Vera à Presidência da República, cuja vice é a indígena Kunã Yporã (Raquel Tremembé), do metroviário Altino a governador e de sua vice, Professora Flavia, bem como de uma chapa coletiva socialista ao Senado, composta pelo metalúrgico Mancha, pela advogada trabalhista Dra. Eliana Ferreira e pela jornalista palestino-brasileira Soraya Misleh. Também foram apresentados os candidatos a deputados estaduais e federais do PSTU e do Polo Socialista e Revolucionário por São Paulo.

“A Convenção foi um ato político, uma grande demonstração da animação de nossa militância. Foi um ato bastante plural, com participação na plenária e falas dos candidatos a deputados da capital e do interior, trabalhadores da cidade e do campo. No dia 16 começa a campanha, e nós vamos para a rua. Com toda vontade, como quando a gente faz greve. Com a mesma dedicação com que fortalecemos as ocupações. Dia 16, o 16 vai estar na boca do povo”, disse Altino.

Minas Gerais

A professora Vanessa Portugal será a candidata a governadora e terá o operário Jordano Metalúrgico como vice. A Convenção aprovou a chapa coletiva ao Senado, formada pela professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Dirlene Marques, a professora Victória Mello e o advogado trabalhista Adriano Espíndola.

Temos a tarefa de defender um programa construído com base nas demandas e necessidades de nossa classe, a classe trabalhadora, sem unidade com aqueles que nos matam. Um programa revolucionário e socialista, forjado na luta de nosso povo pobre e trabalhador contra sua exploração, contra as diversas violências que atingem as mulheres trabalhadoras, os negros e negras, os povos originários e LGBTIs”, frisou Vanessa.

Rio de Janeiro

Com a presença de Vera, pré-candidata à Presidência da República, a Convenção foi realizada na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) Maracanã. Foi oficializada a candidatura de Cyro Garcia (governador) e Samantha Guedes (vice).  Bárbara Sinedino, militante da CST, será a candidata ao Senado.

Foi uma Convenção vitoriosa. Contou com a presença de mais de 100 pessoas e foi seguida de uma atividade política que discutiu a necessidade de derrotar Bolsonaro e Cláudio Castro e a política de conciliação de classes de Lula/Alckmin e Freixo/César Maia, que não enfrentarão os super-ricos e, portanto, não resolverão os problemas da população trabalhadora”, disse Cyro.

Rio Grande do Sul

Em uma Convenção emocionante, que contou com a participação de mais de 100 pessoas, foi oficializada uma chapa de mulheres negras, trabalhadoras e socialistas na disputa ao governo gaúcho: Rejane de Oliveira (governadora) e Vera Rosane (vice). Fabiana Sanguiné será a candidata ao Senado. Nikaya Vidor e Professor Gilli disputarão uma vaga à Câmara Federal. Ana Rita, Ivan e Marilei são candidatos a deputado e deputada estadual.

Neste momento da conjuntura, de polarização entre a ultradireita de Bolsonaro e a conciliação de classes de Lula e Alckmin, alternativas que não são idênticas, mas as duas baseadas na cartilha do capitalismo, temos o direito de apresentar nosso programa socialista e revolucionário, que tenha o olhar para as necessidades concretas da classe trabalhadora, das mulheres, dos negros e negras, LGBTIs e dos povos originários, que sofrem com a miséria, com o desemprego e com a falta de condições de vida. É preciso apontar o caminho para a transformação da sociedade, pelo socialismo”, disse Rejane.

Pará

Com a presença da indígena Kunã Yporã (Raquel Tremembé), a convenção oficializou a candidatura do operário Cleber Rabelo a governador do Pará e o nome da professora Benedita Amaral como vice-governadora. O professor João Santiago, militante da CST (PSOL), corrente que constrói o Polo Socialista e Revolucionário juntamente com o PSTU no Pará, foi confirmado para a vaga ao Senado. Também foram confirmados os nomes de Seu Alex, operário trans, para o cargo de deputado estadual e da jornalista Wellingta Macêdo, a Well, para o cargo de deputada federal.

Temos o dever de apresentar uma alternativa revolucionária para a classe trabalhadora paraense, especialmente a classe operária, e que discuta, entre outras coisas, a defesa da Amazônia e do meio ambiente, contra a oficialização da grilagem de terras feita pelo governador Hélder Barbalho, do MDB. Assim como vamos defender um plano de obras públicas para gerar emprego à população”, destacou Cleber.

Maranhão

O auditório do curso de História da Universidade Estadual do Maranhão, no Centro Histórico de São Luís, ficou lotado na Convenção Estadual que aprovou o nome do professor Hertz Dias a governador. O vice será Jayro Mesquita. O servidor público federal Saulo Arcangeli será candidato ao Senado. Os candidatos a deputados federais serão Preta Lu, Silmara, Bennão Viana, Tourin e Sargento Guimarães. Ao cargo de deputado federal os candidatos são Nicinha Durans, Luzivanda, Antônio Dinho, Daniel Pavão, Domingos Filho e o Professor Walter Maia.

Desemprego não é natural. Racismo não é natural. Machismo não é natural. LGBTfobia não é natural. Isso parte do sistema capitalista, em que a maioria produz a riqueza, que somos nós os trabalhadores, e uma outra classe se apropria do que produzimos. Esse sistema tem que ser destruído”, falou Hertz em seu discurso.

Sergipe

A Convenção oficializou as candidaturas do servidor público Elinos Sabino a governador e da operadora de telemarketing Leidi Lima como vice-governadora. O trabalhador dos Correios Heraldo Goes será o candidato ao Senado. A atividade foi realizada na sede do Sindicato dos Petroleiros e contou com a presença de trabalhadores e trabalhadoras de diversas categorias.

“Metade da população sergipana hoje está passando fome. Temos 170 mil pessoas desempregadas no estado e os trabalhadores empregados sofrem com a precarização e o arrocho salarial. Essa situação é inaceitável”, pontuou Elinos em seu discurso.

Distrito Federal

O candidato a governador será o professor Robson, que terá como vice Eduardo Zanata. A servidora pública federal Elcimara será candidata a senadora. A Convenção também ratificou os nomes de Tânia e Everton para deputada e deputado federais e Francisco Targino para deputado distrital.

Robson ressaltou que sua “candidatura será uma alternativa socialista e revolucionária, independente dos grandes empresários, que os trabalhadores do Distrito Federal terão contra o projeto reacionário de Ibaneis/Arruda e também do projeto de conciliação de classes do PT, PCdoB e PSOL”.

Ceará

Foi homologado o nome do operário da construção civil Zé Batista a governador. O servidor público e ambientalista Reginaldo será o candidato a vice-governador. O servidor público Carlos Silva concorrerá a uma vaga ao Senado. O rodoviário Edweyne e o operário Magela serão candidatos ao Legislativo Federal e Estadual, respectivamente.

“Vamos apresentar um programa socialista e revolucionário, que denuncia as desigualdades do capitalismo e que enfrenta os privilégios dos ricos, contra Bolsonaro, a extrema direita e todos os governos que nos oprimem e exploram”, afirmou Zé Batista.

Espírito Santo

Com um programa de governo que passa pela garantia da não privatização de empresas públicas como o Banco do Estado do Espírito Santo (Banestes) e a Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan) e a reestatização da Companhia de Gás do Espírito Santo (ES Gás), entre outras ações que visam ampliar a arrecadação do estado e possibilitar mais recursos para investimentos em educação e saúde, a Convenção confirmou o nome do capitão da Polícia Militar, Vinícius Sousa, a governador. Ele integra a corrente política Revolução Brasileira e o Movimento de Policiais Antifascismo. A jornalista Soraia Chiabai será a candidata a vice-governadora. O funcionário público federal Filipe Skiter vai concorrer ao Senado.

Paraíba

Antônio Nascimento, líder sindical da oposição rodoviária, será o candidato a governador. A professora aposentada e ativista dos movimentos sociais Alice Maciel será a vice.

“Vamos combater esse sistema capitalista que oprime e explora a classe trabalhadora. Bolsonaro e a extrema direita visam uma ditadura, e os governos reformistas procuram manter nossas liberdades democráticas, mas votam contra nossos direitos e exploram a nossa classe. A solução é construir uma alternativa socialista e revolucionária que atenda as necessidades da classe trabalhadora”, disse Antônio Nascimento.

Paraná

A Convenção Estadual aprovou o nome do Professor Ivan como candidato a governador do Paraná. Phill Natal será o vice. Também foram oficializadas as candidaturas de Samuel a deputado federal e Professora Samara a deputada estadual.

Enquanto Bolsonaro, parceiro de Ratinho Júnior, governador do Paraná, sobe o tom das ameaças autoritárias, Requião, do PT, elogia general da ditadura militar. Derrotar Bolsonaro e Ratinho é urgente, mas precisamos ir além”, ressaltou Ivan.

Alagoas

A Convenção Estadual aprovou a candidatura do químico Manoel Moisés a deputado estadual e do servidor público Paulo Falcão a deputado federal.

“Vamos dialogar e mobilizar a classe trabalhadora contra a retirada de direitos, em defesa dos serviços públicos gratuitos e de qualidade para todos, contra a reforma administrativa (PEC 32/2020), pela revogação do teto de gastos públicos (EC 95/2016) e pela revogação das reformas previdenciária e trabalhista. Bem como vamos pautar a defesa da Petrobras 100% pública, sob controle dos trabalhadores”, disse Paulo Falcão.

Rio Grande do Norte

A chapa majoritária para o governo será composta pela assistente social Rosália Fernandes, ao cargo de governadora, e pela professora Socorro Ribeiro como vice. A Convenção oficializou ainda as candidaturas do professor Dário Barbosa ao Senado e das professoras Ana Célia e Luciana Lima aos Legislativos Federal e Estadual, respectivamente.

Rosália criticou a aliança de Fátima Bezerra (PT) com Walter Alves (MDB) e Carlos Eduardo (PDT), que fazem parte das oligarquias que sempre governaram o estado e atacaram o povo potiguar. “Só um governo socialista e revolucionário pode atender aos nossos interesses. A classe trabalhadora pode romper com essa lógica das oligarquias que mandam neste estado”, disse.

Amapá

Foram oficializados os nomes do professor Gianfranco Gusmão como candidato a governador e da técnica de enfermagem Ana Paula Pinheiro como vice-governadora. A Convenção contou com a presença de simpatizantes, militantes e filiados do PSTU.

“Todos os outros candidatos representam as duas faces da mesma moeda, ou seja, têm o mesmo projeto de governar para os ricos, alguns já estiveram no poder e são os responsáveis pelo desemprego e a fome que atinge mais de 100 mil pessoas no estado”, afirmou Gianfranco.

Piauí

Geraldo Carvalho foi escolhido como candidato a governador. A vice será Geracina Rebolças, professora aposentada da rede estadual. Fran de Jesus, uma das fundadoras da Ocupação Esperança Garcia, será candidata a deputada federal, assim como o professor Egmar Oliveira. Para o Senado, teremos uma candidatura coletiva agrupando a representação de três ativistas que há décadas atuam nos movimentos sociais: Gervásio Santos, Romildo Araújo e Tibério César. A candidata a deputada estadual será a professora Yara Ferry.

Santa Catarina

A chapa aprovada pelos filiados do partido é formada pelo professor Alex Alano, para governador, e Gabriela Santetti, para vice. Gilmar Santos Salgado vai concorrer ao cargo de senador. O estudante da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e militante do Rebeldia, Vinicius Sodré, será candidato a deputado federal. O professor Carlos Bruno será candidato a deputado estadual.

“Nossas candidaturas estarão junto com o movimento sindical, estudantil e popular para evitar as privatizações no estado e no país e reverter as que já foram feitas”, destacou Alex Alano.

Pernambuco

Com uma plenária representativa e com a presença de Vera, pré-candidata à Presidência da República, a Convenção aprovou o nome da professora Claudia Ribeiro a governadora. O professor Mariano será o vice. Também foi confirmado o nome da servidora pública da saúde e do movimento Luta Popular, Dayse Medeiros, ao cargo de senadora. Ainda foram aprovados os nomes de Hélio Cabral e Simone Fontana a deputados federais, e de Jefferson, Eulina, Katianny e Laurentino a deputados e deputadas estaduais.

“Nossas candidaturas representam a nossa luta em Pernambuco, do litoral ao sertão, como forma de apresentar uma alternativa aos 16 anos de governos do PSB, PT e PCdoB, que só fizeram aumentar a desigualdade para os trabalhadores, enquanto os super-ricos lucram com a pobreza do povo”, afirmou Claudia.