10 de novembro: Trabalhadores dos Correios aprovam adesão ao dia nacional de lutas e paralisações

 Foi aprovado durante o Conselho de Sindicatos dos Trabalhadores dos Correios (CONSIN), fórum da FENTECT (Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares), a participação no Dia Nacional de Lutas e Paralisações dia 10 de novembro. Além da necessidade de unificar toda a classe trabalhadora na luta contra as reformas trabalhista e previdenciária, a categoria também sofre com o processo de privatização iniciado pelo governo do PT, que tem continuidade no Governo Temer. E mais recentemente está com o plano de Saúde, principal benefício, ameaçado pelo presidente da ECT, Guilherme Campos (PSD) com a ajuda do TST.

A categoria em ritmo de luta
Somente esse ano, a categoria já realizou duas greves nacionais. A primeira com adesão de todas as bases teve início na Greve Geral de 28 de abril e teve a maior adesão no ano. A segunda foi durante a Campanha Salarial e durou 17 dias. A força da greve fez a empresa recuar em diversos ataques como a tentativa de implementar a reforma trabalhista nos Correios. Agora, foi construído um calendário de mobilização que, dentre outras coisas, mantém a categoria em estado de greve e convoca o dia nacional de lutas e paralisações em 10 de novembro.

Os ataques, porém, continuam através do avanço da privatização, da ameaça ao plano de saúde e de uma escalada de perseguição e demissão aos ativistas do movimento. Em resposta a isso também foi aprovado uma campanha nacional para organizar permanentemente essas lutas.

CUT e CTB precisam aprovar o Dia 10/11 em suas assembleias
Embora a CUT faça parte da FENTECT, não há qualquer garantia de que irão aprovar esse dia de luta em suas bases. Não pode se repetir o que vem ocorrendo no movimento pela Greve Geral em que, junto a outras centrais sindicais, vêm boicotando o movimento. E a CTB, que é outra grande central da categoria e faz parte da outra Federação (FINDECT) junto ao PMDB, sequer tocou no assunto nos fóruns das suas entidades. Nem uma nota sequer. É preciso corrigir essa postura e as duas centrais precisam convocar as assembleias em suas bases para discutir e aprovar esse dia de luta e paralisações.

Construir o dia 10 rumo à Greve Geral
Nós, militantes do PSTU nos Correios, defendemos que toda a categoria exija de suas direções o cumprimento do calendário e adesão ao dia 10 de novembro com paralisações para lutar contra essas reformas trabalhista e da Previdência e contra as privatizações. Também devemos empalmar a luta pelos nossos direitos mais básicos. Somente uma luta nacional de toda a classe trabalhadora, rumo à uma greve geral pode frear os ataques da burguesia e do Governo Federal. Devemos gritar em um só coro: Fora Temer! Fora Campos! Fora todos eles!