Se por um lado as ameaças autoritárias de Bolsonaro não resultaram em uma tentativa de golpe até o momento, por outro lado aumenta a violência de seus seguidores contra os movimentos e lutadores. Quilombolas, indígenas e movimentos de luta no campo são alvos constantes de ataques contra suas lutas e suas vidas.

No dia 9 de setembro o mesmo aconteceu na cidade de Campinas (SP), desta vez contra o radialista Jerry de Oliveira. Conhecido por sua atuação na Rádio Noroeste, de onde tem combatido os retrocessos impostos pelos governos à classe trabalhadora, já sofreu ataques por diversas vezes nos últimos anos.

Porém desta vez foi uma ameaça de morte: Jerry participava da divulgação de um ato contra o fechamento do período noturno da Escola Estadual Reverendo José Carlos Nogueira, quando foi abordado por um morador do bairro que exigia o fim da divulgação. O radialista seguiu fazendo sua atividade e, minutos depois, teve o veículo fechado por um outro, do qual saiu um homem com arma em punho dizendo que iria matá-lo. Felizmente, Jerry conseguiu fugir.

Houve também dificuldade ao acionar a polícia e exigir as medidas cabíveis, o que o motivou a entrar em contato com a Ouvidoria da Polícia do Estado de São Paulo. Ainda assim segue havendo ameaças. Os partidos, as Centrais Sindicais, os sindicatos e movimentos estão se organizando na defesa do companheiro, o que é muito importante para buscar garantir sua integridade física e sua vida.

Nós do PSTU nos solidarizamos com o companheiro Jerry de Oliveira e nos somamos à Rádio Noroeste e demais movimentos na exigência ao Governo do Estado que avance na investigação deste ato criminoso que atenta contra a liberdade de expressão, bem como que puna o(s) autor(es) das ameaças.

A necessidade da autodefesa

Ao mesmo tempo defendemos que a classe trabalhadora precisa retomar a tradição da autodefesa. Se é verdade que hoje as ameaças bolsonaristas estão mais em alta, isso não significa que a repressão do Estado contra as lutas, através das polícias e do Judiciário, tenha deixado de existir.

Não podemos ser pacifistas, é preciso compreendermos que a guerra social contra o povo pobre e trabalhador se acirra a cada dia. E também não podemos ser eleitoralistas e esperar 2022, achando que tudo se resolve por dentro das eleições e das instituições, quando, na verdade, a força da mobilização da nossa classe, através dos métodos das greves e das grandes manifestações nas ruas, é que pode definir os rumos do país ao nosso favor.

Por isso fazemos um chamado aos demais partidos que se colocam na defesa da classe trabalhadora, bem como às centrais, sindicatos e movimentos, para iniciar de maneira pública, organizada e sistemática a autodefesa do movimento. A burguesia nunca esteve de brincadeira e a ultradireita veio pra ficar. Sem autodefesa não há como vencer.

 

MOÇÃO

No dia 9 de setembro o radialista Jerry de Oliveira, atuante na rádio comunitária Noroeste FM, na cidade de Campinas-SP, foi vítima de ameaça de morte por parte de um homem e seu filho, por motivo de desacordos políticos. Mesmo ele registrando B.O. e levando diversas provas à polícia, as ameaças se repetiram na noite do dia 11 de outubro.

É inadmissível que alguém que faça diversas ameaças desse tipo siga à solta e armado, trazendo perigo à vida do radialista e de sua família, bem como de outras pessoas que porventura expressem opiniões divergentes. Isso é uma forma de cercear a liberdade de expressão, tão cara à democracia na qual vivemos.

Por isso nós do partido X, da central Y, do sindicato Z, ou outros nos manifestamos em solidariedade a Jerry de Oliveira e cobramos uma postura enérgica do Governo do Estado e da Secretaria de Segurança Pública, no sentido de garantir a integridade física e a vida do comunicador.

Enviar para:

Gabinete do Governador: [email protected] ; [email protected]

Secretaria Particular do Governador: [email protected] ; [email protected]

Gabinete do Vice-Governador: [email protected] ; [email protected]

Gabinete da Primeira-Dama: [email protected]

Secretário de Segurança Pública: [email protected]

 

Com cópia para: [email protected]