Movimento LUTA POPULAR

Foi na Ocupação Esperança, na zona norte de Osasco. A polícia chega e alega um conflito e de repente, mais dois números para a estatística. Dois jovens negros, moradores da periferia, de uma ocupação organizada por um movimento de luta.

Nunca é demais lembrar que em 6 anos de existência da nossa comunidade nunca houve um homicídio, contrariando as estatísticas e a realidade da zona norte de Osasco. E isso porque é uma comunidade com muita auto-organização coletiva.

De fato reina o silêncio, pois quem se dispõe a enfrentar a “ordem das coisas” que nos coloca como “vidas matáveis”? Mas na boa, não dá pra ficar calado em tudo!

Até o momento nem o nome dos jovens mortos pela Polícia Militar foram divulgados abertamente. A cena se repete como uma triste rotina da realidade da periferia da grande São Paulo. “Confronto, seguido de morte”. Sinceramente, importa saber se os jovens corriam por um lado que não é o “formal” da vida, ou se houve algum tipo de abuso na ação da PM?

Carros da PM dentro da Ocupação Esperança. Ação terminou com dois jovens negros assassinados

Até o momento, o que se divulgou é de uma ação típica da polícia: “recebemos uma denúncia, fomos verificar, o indivíduo atacou a polícia que revidou e, em seguida, dois corpos tombados ao chão”. Reparem, que o discurso é sempre o mesmo, a dinâmica é sempre a mesma: nenhum policial ferido. Nessa “guerra” quem tomba é só o povo.

A Ocupação cujo nome é Esperança, ocupada por dezenas de viaturas intimidando as crianças e as trabalhadores e trabalhadores que constroem esse bairro de luta há anos.
Vamos seguir na luta pela construção de um território onde morar com dignidade seja o nosso lema. Onde não aceitemos a invasão da PM para impor o medo, a morte.
Para nós, foram dois jovens negros, para eles dois a menos na estatística!

Nossa preocupação agora é a PM se sentir “à vontade” pra subir pra cá toda hora usando pretexto para ocupar militarmente nosso território de luta por moradia e cometer novos atos bárbaros contra o povo.