PSTU – São João del Rei (MG)

Os empresários e a gerência da empresa abandonaram a população e os trabalhadores. Os três meses de salário e vale alimentação atrasados só serão pagos se a prefeitura romper o contrato com a Viação Presidente e entregar a gestão dos bens e serviços prestados aos trabalhadores e trabalhadoras.

Desde o dia 7 de maio (sexta-feira), os funcionários da Viação Presidente encaram uma paralisação das atividades. Os trabalhadores reivindicam o pagamento imediato dos meses atrasados e o vale alimentação.

A situação da vida dos funcionários da empresa está insustentável. Os relatos revelam a gravidade da situação. Há trabalhadores despejados morando no carro, ameaça de prisão por falta de pagamento de pensão e funcionário indo trabalhar no turno da noite só com o café da manhã no estômago. A fome e dívidas estão no cotidiano desses trabalhadores.

Por outro lado, os acionistas têm participação em grandes empresas lucrativas e seguem com seu padrão de vida tranquilo, sem ver seus lucros serem afetados.

Há mais de um ano os empresários e o poder público municipal agem a favor dos lucros e contra os trabalhadores. São meses recorrentes de atraso salarial e demissões. Foram diversas tentativas de negociação, todas elas frustradas por não serem cumpridas pelas empresas. Todos os acordos formalizados por escrito foram rompidos. Claramente os empresários estão organizados para dar um calote nos trabalhadores e na cidade.

Da mesma forma que negam o sustento de famílias, eles perseguem os trabalhadores que lutam. Há tentativas de demissões sendo revertidas na justiça do trabalho, resultado das últimas mobilizações. E, neste momento, o único pronunciamento dos representantes da empresa é que vão demitir por justa causa os trabalhadores que estão na luta!

O PSTU, a CSP-Conlutas e outros movimentos sindicais e populares estão na linha de frente em solidariedade a esses trabalhadores. Estamos em um plantão acompanhando o revezamento dos trabalhadores na ocupação da garagem da empresa, garantindo as ações políticas e de estrutura, como alimentação e contato com a imprensa. O apoio ao movimento só cresce, principalmente entre a população. Todas as mensagens recebidas nas redes sociais são de apoio.

A unidade formada entre os trabalhadores com paralisação total das atividades deve seguir firme. Formar uma comissão da paralisação que de fato represente os trabalhadores e trabalhadoras. A negociação deve envolver prefeitura, Câmara Municipal e ministério público e a comissão de trabalhadores. Assim, vamos garantir o pagamento dos salários atrasados, assim como o confisco dos bens da empresa e gestão do transporte público municipal.

O prefeito até o momento está omissão sobre o atraso dos salários da Viação Presidente, assim como a Câmara de vereadores, que não tem cumprido sua função de fiscalização.

– Por um rompimento imediato do contrato com a Viação Presidente!
– Controle dos bens e concessão do transporte municipal para os trabalhadores e trabalhadoras da Viação Presidente!
– Confisco dos bens e prisão dos acionistas da Viação Presidente!
– Fora Viação Presidente!